Há 13 anos, Adriane Galisteu estreava seu Charme no SBT

Publicado há 3 anos
Por André Santana
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

No dia 25 de outubro de 2004, a apresentadora Adriane Galisteu estreava à frente do programa Charme, nas tardes do SBT. A atração dava início à conturbada passagem da apresentadora na emissora de Silvio Santos, marcada pelas reclamações públicas da apresentadora e as constantes mudanças de horário e formato do programa.

Quando estreou, Charme tinha direção geral de Nilton Travesso, uma abertura simpática ao som de “Pagu”, com Rita Lee, e formato bastante inspirado no Alô Christina, clássico do SBT apresentado por Cristina Rocha. Cada bloco do programa era iniciado por um game por telefone, no qual a audiência ligava para Adriane e precisava adivinhar quantos feijões tinham num pote e outros jogos do mesmo naipe. Quando Adriane ligava, o participante tinha que dizer a frase “como vai Galisteu?” para começar o jogo já ganhando.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Além dos jogos, em cada bloco, havia uma atração diferente: o primeiro bloco era dedicado a atrações semanais, sendo que às segundas ia ao ar a sitcom Nina e Nuno, na qual Adriane contracenava com Eduardo Martini; de terça a sexta, eram exibidos diferentes games com a plateia. No segundo bloco, Charme exibia uma reportagem sobre assuntos como moda, beleza e comportamento; no terceiro bloco, Adriane recebia um convidado para uma entrevista; e no quarto e último bloco, entrava uma atração musical.

Este primeiro formato do Charme nunca cai nas graças de Adriane Galisteu, que reclamava não ser boa apresentadora de game show, e que a atração era engessada demais com seus blocos muito definidos. Depois de muito bater de frente com o próprio Silvio Santos, que insistia neste formato, Adriane conseguiu um aval para deixar a atração menos rígida. Nesta fase, a apresentadora valorizava a entrevista, chegando a manter um convidado ao seu lado o programa todo. Porém, pouco tempo depois, Silvio Santos mandou que o Charme voltasse a ser como era.

Com Adriane insatisfeita e o Charme rendendo pouca audiência no horário da tarde, a atração começou a ver seu horário alterado. Em 2006, Charme passou a ser semanal, nas noites de quarta-feira, contando com entrevistas e atrações musicais. Apesar de não ter ido tão mal em audiência, o SBT mudou o dia da atração, jogando-a para as noites de sábado, no ingrato horário entre 21h e 22h30. No final de 2006, Charme voltou a ser diário e exibido no horário da tarde, com nova mudança de formato. A entrada do diretor Carlos Amorim deixou o programa com cara de revista eletrônica, com muitas reportagens e entrevistas no palco sobre pautas diversas e até noticiário.

No início de 2007, uma surpresa: com a desculpa de Adriane Galisteu ter entrado de férias, Celso Portiolli surgiu no comando do Charme, que sofreu nova modificação no formato. Com Celso, Charme retomou os games e incluiu o Quadro do Namoro, um jogo de formação de casais clássico. Em março de 2007, Celso Portiolli levou este formato às tardes de sábado do SBT, e o programa teve o nome alterado para Namoro na TV e Etc, mesclando games de namoro e outros jogos e atrações. Enquanto isso, Adriane Galisteu retornava com um novo Charme, ganhando novo cenário, horário e formato: agora exibido nas madrugadas, depois do Jornal do SBT, Charme se tornava um talk show.

Esta foi uma das melhores fases do programa, com Adriane visivelmente mais à vontade no vídeo e fazendo boas entrevistas. No entanto, segundo vários sites na época, Silvio Santos teria dito que não pagava Adriane para ela se esconder nas madrugadas, e tratou de trazer o Charme de volta ao horário da tarde. Neste novo horário, o formato de talk show não vingou, registrando péssimos índices de audiência. Por isso, logo este formato foi abolido e Adriane voltou a apresentar games com a plateia e jogos por telefone, para seu desespero. No final daquele ano, o SBT resgatou o Fantasia, exibido nas madrugadas e, pouco tempo depois, com a desculpa de programação de verão, inverteu os horários do Fantasia e do Charme: Adriane voltava para as madrugadas, enquanto Caco Rodrigues e Helen Ganzarolli ocupavam as tardes. Nesta fase, Adriane começou a brincar com a situação e a apresentar o Charme de pijamas. Também saiu de férias por um período, e Charme foi apresentado por Patrícia Salvador durante um tempo.

Depois da “programação de verão”, houve nova inversão, e Charme voltou para as tardes. Mais um tempo depois, adivinhem? Nova inversão e Charme voltava mais uma vez para as madrugadas. Insatisfeito com a baixa audiência tanto do Charme quanto do Fantasia, Silvio Santos acaba decretando o fim dos dois programas em março de 2008. Depois disso, o SBT chegou a demonstrar interesse em renovar o contrato de Adriane Galisteu, mas a apresentadora decidiu deixar o canal e assinou com a Band, onde estreou no comando do programa de variedades Toda Sexta no ano seguinte.

Leia também:

A divertida Quatro por Quatro estreava há 23 anos

Confira a vista de Eliana, então estrela da Record, ao Charme:

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregar mais