Guerra Sem Fim, novela da Manchete, estreava há 24 anos

Publicado há 3 anos
Por André Santana
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

No dia 30 de novembro de 1993, estreava na extinta Manchete a novela Guerra Sem Fim. Escrita por José Louzeiro e Alexandre Lydia e dirigida por Marcos Schechtmann, Luiz Armando Queiróz, Marcos Vinícius César e Wálter Campos, a trama trazia Júlia Lemmertz e Alexandre Borges como protagonistas.

Guerra Sem Fim contava a história da médica Flávia (Júlia Lemmertz), que vê sua vida virar de cabeça para baixo quando se apaixona por Cacau (Alexandre Borges), um traficante de drogas ligado ao Comando Pirata, que controlava a favela da Paciência. Envolvida com o crime e a marginalidade, ela acaba atrapalhando a ascensão política de seu padrasto, Armando César de Mello (Rogério Fróes), que almeja ser governador do Rio de Janeiro.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Guerra Sem Fim foi produzida pela Rede Manchete num momento muito complicado da história da emissora. A emissora acabara de sair de uma grave crise, quando chegou a ser vendida para o grupo IBF e, depois, devolvida ao Grupo Bloch.

Tentando se reerguer, a emissora produziu a minissérie O Marajá. A trama de José Louzeiro, Regina Braga, Eloy Santos e Alexandre Lydia era uma sátira a Fernando Collor de Mello, ex-presidente do país, e contava a história de Elle (Hélcio Magalhães), presidente de um país fictício. A TV Manchete começou a divulgar a minissérie, em chamadas veiculadas em sua programação, quando o ex-presidente sentiu-se ofendido e entrou com um recurso na justiça para impedir a estreia da trama. Assim, O Marajá, que estrearia em julho, não foi ao ar.

Sendo assim, a equipe de O Marajá passou a produzir, a toque de caixa, Guerra Sem Fim. Autores, elenco e direção eram os mesmos, e todos correram contra o tempo para colocar a novela no ar o mais rápido possível. Vendida como “novela-reportagem”, a trama ousou ao colocar, num folhetim, os problemas de segurança pública do Rio de Janeiro, mostrando a guerra entre policiais e bandidos, e tendo como cenário uma favela dominada pelo tráfico.

Com poucos recursos, a produção se virava para que a novela acontecesse. A equipe tinha que pedir permissão aos traficantes que comandavam as locações para gravarem em horários determinados. Além disso, parte das cenas foram gravadas nos saguões e escritórios dos dois prédios da Manchete, no Rio de Janeiro, como medida de economia. Em um deles ficava o escritório do traficante Monarca, e a casa de Lili Marlene (Lúcia Alves), mãe de Flávia, ocupava o outro.

Apesar de não ter sido um grande sucesso, Guerra Sem Fim teve considerável repercussão, ajudando a dar sobrevida à teledramaturgia da Manchete. A trama também marcou o início do relacionamento dos atores Alexandre Borges e Júlia Lemmertz, que ficaram casados por mais de 20 anos.

Guerra Sem Fim teve 86 capítulos.

Leia também:

Final Feliz estreava há 35 anos

Reveja cenas do último capítulo de Guerra Sem Fim:

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregar mais