Globo muda política e dá fim ao contrato fixo com autores de novelas

Elizabeth Jhin foi a primeira afetada com a decisão da emissora

Publicado em 8/6/2021
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

A famosa política do contrato por obra vai atingir até os autores de novelas da Globo. Antes “intocáveis”, os dramaturgos agora só receberão quando estiverem com algum trabalho aprovado para ir ao ar.

Segundo informações do portal Na Telinha, essa foi uma decisão da direção artística da emissora que atinge parte dos roteiristas. A ideia é manter apenas os medalhões, como Walcyr Carrasco, Gloria Perez e João Emanuel Carneiro, por exemplo.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Com a medida, a emissora deixará de pagar grandes salários para autores que estão na fase de elaboração de projetos. Assim, conseguirá economizar bastante, fazendo apenas contratos por tempo determinado.

Para compensar, o salário de um contratado por obra será maior que o atual, cerca de 100 mil reais mensais em caso de trabalho solo. A proposta agradou muitos profissionais, já que terão chances de negociar com outras empresas, como plataformas de streaming, por exemplo.

De fato, a nova política já começou a ser colocada em prática com a dispensa da autora Elizabeth Jhin. Além dela, outros roteiristas – muito ou pouco badalados – também devem deixar o canal. O banco de colaboradores, por exemplo, será enxugado, apenas para novelas que tem confirmação de produção e exibição pela emissora.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio