Elenco e autores relembram curiosidades de Malhação Sonhos

A temporada de 2014 da trama volta ao ar na Globo a partir do dia 25

Publicado há uma hora
Por André Santana
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Malhação Sonhos, que retorna à programação da Globo no próximo dia 25, é uma temporada diferente de outras da franquia. Isso porque a escola não é o principal cenário da trama. Desta vez, os personagens se dividem entre a Escola de Arte Ribalta e a Academia de Artes Marciais do Gael.

Na trama da novela, as duas instituições estão instaladas em uma antiga fábrica no bairro do Catete, Zona Sul do Rio de Janeiro. E é ali que diversas tribos de jovens e adultos convivem diariamente em busca de seus sonhos e, consequentemente, de aprendizado e novas relações.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

O conflito entre os dois mundos da obra escrita por Rosane Svartman e Paulo Halm, com supervisão de Gloria Barreto, começa com as diferenças dos donos de cada espaço: Gael (Eriberto Leão) e Nando Rocha (Leo Jaime). O primeiro, mestre de muay thai e conhecido internacionalmente pelo seu talento nas artes marciais. O segundo, um roqueiro dos anos 80, que ficou conhecido pelo público na temporada de Malhação em 2012 e que voltou ao ar na edição de 2014, quando herdou a escola de artes de uma tia-avó.

O desprezo de Gael pela Ribalta é antigo. Na juventude, casou-se com Ana, uma grande atriz da escola, e desconfia que em uma de suas turnês teve um caso extraconjugal com um dos atores da peça. Foi com ela que Gael teve suas duas filhas, Bianca (Bruna Hamu) e Karina (Isabella Santoni), mas a esposa morreu no parto da caçula.

Com personalidades completamente opostas, as garotas criadas por Gael vivem às turras, embora tenham um laço fraternal muito forte e uma admiração mútua por Duca (Arthur Aguiar), lutador da academia e menino dos olhos de Gael, que o considera como um filho.

Bianca sonha em seguir os passos da mãe e ouvir os aplausos ao subir no palco. Já Karina quer orgulhar o pai – que demonstra preferência pela irmã mais velha – e pretende se tornar uma grande lutadora, na tentativa de ocupar o espaço de um filho que ele nunca teve. Mas para sua tristeza, Gael não gosta de vê-la em lutas oficiais e não permite que ela dispute.

Já Bianca tem de jogar muito charme para conseguir convencê-lo a liberar sua matrícula na Ribalta. Para isso, ela conta com a ajuda da bela professora de voz, Dandara (Emanuelle Araujo), a única pessoa da escola de artes capaz de amolecer o duro Gael.

Segundo Emanuelle Araújo, que deu vida à artista Dandara, as características da relação dos dois foi muito marcante. “O casal ‘Dandael’, como o público definiu, marcou um movimento de contrastes, diferenças e muito amor. Ela das artes e ele da luta. Essa dicotomia misturada ao lindo romance do casal para mim foi o tempero da trama. Brigavam e se amavam”, define.

“A Dandara foi uma personagem marcante na minha carreira. Este feminino muito bem desenhado pela Rosane e Paulo com a direção precisa do Luíz Henrique Rios. Sua relação com a arte e os números musicais foram momentos muito especiais na minha trajetória. A mistura da leveza da Dandara com a comédia e o drama da história me fizeram construir um trabalho do qual muito me orgulho”, completa a atriz.

Para a autora Rosane Svartman, os temas abordados na história continuam atuais. “Quando foi exibida em 2014, a trama tinha um público bem expressivo, principalmente nas plataformas digitais. Atribuo isso a temas que eram e ainda são relevantes, além da pegada bem humorada e musical. Eu e Paulo adoramos esse gênero. Eu lembro que a gente falava que a história era ‘A Megera Domada’, de Shakespeare, encontrando ‘Fame’ e ‘Karatê Kid’ com um estilo brasileiro, aproveitando nosso rico cancioneiro popular, que expressa nossa cultura”, avalia.

Em Malhação Sonhos, além de formar campeões em sua academia, acima de tudo Gael quer passar os princípios das artes marciais para todos. Duca é seu atleta de destaque e está sempre acompanhado de seus fiéis escudeiros: Zé (Bruno Fraga) e Marcão (Jean Amorim).

Com porte de galã e músculos definidos, o bom rapaz só tem olhos para a doce Bianca. Enquanto ela não começa suas aulas de teatro, fica na área administrativa da academia de lutas, onde os dois mantém o romance às escondidas. Nem mesmo Karina, para quem ele reserva somente o sentimento de “brother”, percebe o clima de amor entre os dois

Karina fica arrasada quando a relação vêm à tona. Mas os dias de tristeza da “esquentadinha” logo acabam, quando ela começa a enxergar Pedro (Rafael Vitti) com outros olhos. Filho de Marcelo (Felipe Camargo) e Delma (Patrícia França), Pedro ajuda no restaurante dos pais enquanto tenta uma vaga na Ribalta.

Ele vive avoado pensando em ser um grande rock star e vira o pupilo de Nando Rocha quando, finalmente, o diretor da escola garante uma vaga para o jovem. No entra e sai da fábrica que abriga a academia de lutas e a Ribalta, ele conhece Karina. Os dois se detestam à primeira vista, mas logo Pedro será o motivo de suspiros da nervosinha.

A sintonia dos personagens e a história de amor envolvendo os dois causou alvoroço no público, durante a primeira exibição da temporada, que decretou o casal #Perina como a sensação de Malhação Sonhos. Para o autor Paulo Halm, #Perina despertou uma empatia generalizada no público.

“Era um casal puro, mas ardente, que vivia às turras, mas pleno de carinho, ingênuos e intensos como todo o primeiro amor, e por isso mesmo, imbatíveis e maiores que qualquer adversidade. Mas sem dúvida, grande ou maior parte do sucesso desse adorável casal deve-se à corajosa, destemida e mesmo despudorada atuação da Bella Santoni e do Rafa Vitti, dois atores estreantes à época, ainda inexperientes, mas muito talentosos, que deram vida aos nossos personagens com uma dedicação incrível. Não poderíamos deixar de elogiar a direção sensível do Luiz Henrique Rios, que deu todo o suporte artístico e emocional para que os garotos pudessem brilhar e #Perina virar o ‘xodó’”, elogia.

Pedro tem talento com a guitarra, aos poucos evolui na composição de letras e melodias, mas não canta nada. Ele forma uma banda com a galera da Ribalta, sob a orientação do roqueiro Nando, e tem a sorte de ter a vocalista Sol (Jeniffer Nascimento) entre os integrantes do grupo.

Ambiciosa, Sol é a prova de que todos têm direito de ter sonhos, independentemente da classe social. Moradora de Marechal Hermes, no subúrbio carioca, ela é dona de uma bela voz e de um talento único para a dança. Com sua vontade de brilhar, a garota vai mostrar à mãe, Bete (Edvana Carvalho), sua capacidade de ser aluna da Ribalta também. Admirador e seu fã número um, o vizinho Wallace (Antônio Carlos) segue a garota por onde ela passa e, para ficar por perto, passa a frequentar a academia de lutas do Gael, onde ganhará destaque como lutador.

Jeniffer Nascimento diz que sua história se parece muito com a da personagem. “Em vários momentos da trama, a Sol se parece comigo. Uma menina de origem humilde, periférica, que sonhava em ser cantora e dar uma condição melhor para a mãe. A Sol me ensinou várias coisas, posso dizer que ela foi uma personagem que me mostrou o que é o empoderamento, por exemplo, e ela é uma pessoa que não mede esforços para atingir seus objetivos”, conta.

Escrita por Rosane Svartman e Paulo Halm, Malhação Sonhos tem direção de núcleo de José Alvarenga Jr, direção geral de Luiz Henrique Rios e direção de Marcus Figueiredo e Noa Bressane. Vai ao ar logo após o Vale a Pena Ver de Novo.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio