Edgard Miranda e Vavá Torres detalham cenas da Via Crucis na novela Jesus: “Cerca de 10 litros de sangue cenográfico”

Publicado há 2 anos
Por Greicehelen Santana
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

A novela Jesus está entrando na reta final na tela da Record TV. Uma das sequências mais aguardadas da trama, a Via Crucis, tem previsão para ir ao a partir de quinta-feira (28). Este é o momento em que o Messias, ferido e exausto, é obrigado a carregar sua própria cruz da cidade de Jerusalém até o local da sua crucificação: a colina de Gólgota.

As filmagens desta importante cena foram rodadas ainda em 2018, em Marrocos. Os registros aconteceram, mais especificamente, na cidade de Ouarzazate, a 197 quilômetros de Marrakesh.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

O diretor geral da novela, Edgard Miranda, contou alguns detalhes técnicos sobre as filmagens da Via Dolorosa no continente africano. “Nós utilizamos quatro câmeras rodando a sessenta quadros para dar aquela sensação do slowmotion, quase uma fotografia viva. Na nossa equipe tinham 160 pessoas e mais 47 atores”, explicou Miranda.

O diretor também falou sobre as dificuldades enfrentadas no Marrocos durante as filmagens e elogiou o empenho do elenco. “As dificuldades foram várias. Pegamos um calor no Marrocos desumano, a sensação térmica era de 62 graus”, confessou.

“Eu tinha acabado de comprar dois tênis novos para a viagem, mas o calor era tanto que os solados ficaram grudados no piso. Fora essas adversidades, o resultado foi ótimo”, disse Edgard Miranda, elogiando a atuação de Dudu Azevedo como o Filho de Deus.

O protagonista Dudu Azevedo arrebentou. Os dois ladrões, Dimas e Gestas, vividos pelos atores Fifo Benicasa e Flávio Pardal, fizeram um excelente trabalho. Ficaram gravando o dia inteiro pendurados na cruz. Tem que tirar o chapéu para eles”, finalizou o diretor geral.

Dudu Azevedo como o Messias

Para Dudu Azevedo, filmar no Marrocos contribuiu para o trabalho de composição do personagem. “Gravar no meio do deserto foi uma escolha muito assertiva dos diretores, da Casablanca e da Record TV, porque o cenário arremessou a gente para o lugar certo, no clima certo. Pegamos carona em tudo isso. Nós atores saímos do cotidiano pessoal e mergulhamos profundamente na atmosfera de trabalho. Respiramos isso por quase 20 dias. Acredito que isso contribuiu muito”, comentou o ator.

Além de toda a representatividade da cena em si, outro fator que chamará a atenção do público é a caracterização do protagonista. Dudu passou por uma preparação de cerca de 4 a 5 horas. O trabalho foi feito pela equipe de Vavá Torres, que tornou esta sequência de cenas ainda mais crível.

O profissional de caracterização deu mais detalhes sobre o trabalho feito. Vavá ressaltou a quantidade de sangue cenográfico utilizado durante as filmagens. “Primeiro se colava uma prótese de silicone para simular os ferimentos de chicote. Depois era utilizado até quatro tons de tinta para fazer a cor do sangue, para dar a sensação de um corte mais profundo e aquele sangue mais vivo que escorria pelo corpo”, revelou.

Vavá Torres ainda continuou: “No rosto do ator foi utilizado uma prótese no olho e no nariz para dar a sensação de inchado e cortado. Os pregos que foram fixados nas mãos e nos pés do personagem na cruz foram criados em isopor para que fossem colados. Só para esta cena, utilizamos cerca de 10 litros de sangue cenográfico, que era jogado através de uma bombinha hidráulica”.

A previsão é que a novela Jesus termine no mês de abril, dando lugar a macrossérie JezabelJesus é exibido pela Record TV de segunda à sexta-feira, a partir das 20h45.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregar mais