Deus Salve o Rei: Os reinos e o futuro de Montemor

Publicado há 3 anos
Por João Paulo Reis
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Séculos atrás, na região de Cália, estão os reinos de Montemor e Artena. O primeiro, rico em minério, e o outro, abundante em água. Um acordo entre ambos, há muitos anos vigente, garante que o minério produzido em Montemor seja fornecido a Artena em troca de sua água. Mesmo assim, a água é recurso sempre escasso, o que prejudica a irrigação das colheitas e, por consequência, toda a subsistência do local.

Leia também: Carinha de Anjo: Cecília passa por transformação no visual

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Um projeto ousado pretende mudar o curso dessa história. A rainha Crisélia (Rosamaria Murtinho) prepara um grande evento para o dia que deve ficar na história de Montemor: a inauguração de uma obra extremamente inovadora para o período: um aqueduto que promete ser a solução para o maior problema do lugar. Diante de toda a população reunida, uma grande expectativa paira no ar. Todos anseiam pelo bem mais precioso.

Mas, o que era esperança, culmina em decepção: o lago que serviria como fonte para Montemor simplesmente secou. O fracasso do projeto é um baque enorme para rainha, que, já doente, prepara a sucessão do trono, focando no seu neto Afonso (Rômulo Estrela), preparado a vida toda para o posto.

Sempre disposto a resolver os problemas de Montemor, Afonso organiza uma expedição atrás de água. “Sabendo de sua condição, Crisélia pede que Afonso assuma o trono assim que voltar”, adianta Rosamaria Murtinho. Resta saber se o que estava planejado será cumprido.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregar mais