Aos 97 anos, Ruth de Souza comemora retorno à TV em Se Eu Fechar os Olhos Agora: “Trabalhar para mim é uma terapia”

Publicado há 2 anos
Por Felipe Brandão
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Quisera Deus qualquer um de nós chegar aos 97 anos com a disposição de Ruth de Souza. Quase centenária, a icônica atriz brasileira mostra-se categórica quando o assunto é a possibilidade de se aposentar: “Jamais. Trabalhar para mim é uma terapia”, revelou, em entrevista ao Observatório da Televisão.

Para Ruth, o segredo de tamanha vitalidade é um só: não parar nunca! “Deus tem sido muito generoso comigo. Desde que comecei a trabalhar, nunca parei. Numa profissão instável como a minha, é uma bênção de Deus ter podido estar sempre ativa”, agradeceu, durante a coletiva de Se Eu Fechar os Olhos Agora, que estreia na Globo no próximo dia 15 (segunda-feira).

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Mesmo fora da telinha, sua agenda é sempre muito movimentada. Tudo isso, claro, graças à importância histórica de Ruth para o panorama do dramaturgia nacional, coisa que a faz ser constantemente lembrada em premiações e honrarias do segmento. “Todo dia tem uns dois, três eventos”, brinca a estrela.

Tirando de letra

Na história recriada por Ricardo Linhares, a partir do romance original de Edney Silvestre, Ruth interpreta Madalena. Idosa e abandonada, ela acaba sendo ‘adotada’ pelos meninos Paulo Roberto (João Gabriel D’Aleluia) e Eduardo (Xande Valois) antes de ser assassinada de forma brutal e misteriosa.

Se é difícil para a veterana fazer cenas de morte? Que nada! “É só ‘parar’ de respirar e fechar os olhos”, dispara, franca, arrancando gargalhadas de seus interlocutores.

Essa volta à televisão, aliás, tem um gosto todo especial para a artista. “Amo ver TV. Passo o dia com o aparelho ligado. Gosto muito de programas como o The Voice Kids, o Caldeirão do Huck, o Esquenta [hoje extinto]… Nas minhas horas vagas também gosto de ler e rever meus filmes antigos”, confessa Souza, que marcou época em produções das telonas como Sinhá Moça (1953) e O Assalto ao Trem Pagador (1962).

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregar mais