Altas Horas completa 20 anos no ar; relembre a história do programa

Rita Lee, Paula Toller, Ivete e Sandy & Junior foram os primeiros convidados do programa

Publicado há 13 dias
Por Cadu Safner
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Na quarta-feira, dia 14, Serginho Groisman e a sua equipe comemoraram o sucesso de momentos inesquecíveis vividos no sábado à noite. Fazem exatas duas décadas que o Altas Horas entrou no ar pela primeira vez, colecionando entrevistas e conversas ainda fortemente lembradas pelo público de casa e pelos convidados do programa.

Desde o começo, o Altas Horas chegou para mesclar entretenimento e jornalismo, com convidados de diversas áreas de atuação e a participação de jovens do país inteiro, além de muita música.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Serginho Groisman no Altas Horas (Foto: Divulgação/ Globo)

A estreia do Altas Horas contou com convidados de peso como os cantores Rita Lee e Roberto de Carvalho, Paula Toller, além de Ivete Sangalo, como repórter especial, e a dupla Sandy & Junior, que participaram por vídeo.

De lá para cá, nomes importantes de diversos gêneros musicais e áreas de atuação passaram pelo palco do programa, que, até hoje, mantém a premissa de misturar ritmos e ideias para todos os gostos.

De fato, é difícil imaginar um artista, ator ou personalidade que não tenha passado pelo palco do programa. Também marcaram presença na atração astros internacionais, que são sucesso no mundo inteiro.

O programa ainda ficou conhecido por promover duetos especiais, como os encontros entre Elza Soares e Paulo Miklos, Maria Bethânia e Erasmo Carlos, Baby do Brasil e Pitty, Lobão e Jair Rodrigues, Caetano Veloso e Ivete Sangalo, Luiz Melodia e Céu, Los Hermanos e Belchior, Maria Rita e Fagner, Jairzinho e Dona Ivone Lara, e muitos outros.

Serginho e Elba Ramalho no Altas Horas (Divulgação/ TV Globo)

Uma coisa que eu fui percebendo ao longo dos anos é que o importante não é quem você convida, mas o que você extrai desse convidado”, afirma Serginho.  
Para o apresentador e diretor do programa Serginho Groisman, o Altas Horas sempre foi um programa com, e não de, auditório, onde a participação ativa do público jovem se tornou marca registrada das edições.

Desde a sua estreia, incentivar o envolvimento da plateia com os convidados e dar voz aos adolescentes faz parte da essência da atração, que, segundo o próprio Serginho, é moldado sob um ponto de vista dos jovens, mas longe de ser uma atração exclusiva para este público.

Serginho Groisman no Altas Horas (Reprodução/TV Globo)

Não à toa, durante 20 anos, o Altas Horas trouxe ídolos de várias gerações e tratou de abordar questões atuais e relevantes para a sociedade, incluindo no programa debates sobre o cyberbulling, questões de gênero, práticas antirracistas, fake news entre outras discussões de interesse geral.

E foi esse um dos motivos que fez o Altas Horas adotar o formato de arena, para que todos – convidados e plateia – fossem protagonistas, menos Serginho, que assumiu as vestes de espectador e mediador, transformando o Altas Horas em um espaço para todos.

Altas Horas (Divulgação/ TV Globo)

Desde a estreia, outra característica da atração foi ter apostado em programas especiais e comemorativos, como as edições realizadas para celebrar o aniversário do Altas Horas, gravadas também fora do estúdio.

Nestas ocasiões, Serginho e sua equipe foram a locais como o Piscinão de Ramos, no Rio de Janeiro, a Concha Acústica do Teatro Castro Alves, em Salvador, o Theatro São Pedro, em Porto Alegre, o Teatro Ópera de Arame, em Curitiba, além da Sala São Paulo e o Auditório Ibirapuera, ambos localizados em São Paulo.

Serginho Groisman

Os quadros também foram uma grande aposta do programa. Um deles foi o Púlpito, logo em 2001, que abria o microfone para a plateia protestar sobre qualquer tema.

O quadro já viajou pelo Brasil e chegou a ter uma edição só com crianças, em 2012.  Também foi destaque o Não É Foto, É Vídeo, uma brincadeira de Serginho com seus convidados, que estreou em 2006.

A partir de 2007, a jornalista e sexóloga Laura Muller passou a ter um quadro cativo no programa para tirar dúvidas e tratar de pautas relativas a sexo. O Altas Horas também contou com a participação de especialistas em humor, entre eles, Marco Luque que, em 2016, também ganhou espaço semanal na atração  
   

Serginho Groismann (Divulgação)

Desde o começo deste ano, o Altas Horas tratou de promover semanalmente conteúdos inéditos para comemorar os 20 anos do programa. Em março, quando a epidemia do novo coronavírus ainda não era realidade no Brasil, Serginho inaugurou o palco Milton Nascimento com a presença do próprio cantor na atração.

Também reuniu a formação original da Banda Altas Horas e relembrou as primeiras participações da plateia no programa. Em seguida, adaptando-se a uma nova realidade mundial, Serginho passou a comandar o Altas Horas de casa, revivendo os melhores momentos destas duas décadas no ar, até chegar a criar programas inéditos, com muita novidade.

Laura Müller no Altas Horas (Reprodução/TV Globo).

Além de entrevistas com personalidades que são referência em suas áreas de atuação, como William Bonner, Renata Vasconcellos, Anitta e Regina Casé, o apresentador anunciou o lançamento de novos quadros.

No Nunca Te Vi Sempre Te Amei, celebridades têm a oportunidade de conhecer anônimos ou outros famosos que admiram. Já o ‘10 Minutinhos de Fama’ traz um bate papo espontâneo com crianças de várias localidades do Brasil, enquanto o Pais e Filhos promove uma conversa franca entre famosos e seus pais.

Serginho Groisman e Sandy no Altas Horas (Divulgação/ TV Globo)

Por fim, Serginho lançou o Altas Horas pelo mundo, um encontro entre jovens ao redor do planeta. “Já havíamos planejado um novo conteúdo antes da pandemia, no estúdio.

O que aconteceu é que nos adaptamos e estamos produzindo esse material à distância. Eu criei, por exemplo, o ‘Nunca Te Vi, Sempre Te Amei’ para a Internet, porque proporcionamos um encontro entre pessoas que não se conhecem e entramos na casa delas, tudo graças à tecnologia.” 
  

Segundo Serginho, é sempre tempo de comemorar e, provavelmente, a celebração dos 20 anos irá se estender para além de 2020. Neste ano, ao contrário dos últimos 19, o Altas Horas não realizará uma festa específica para a data.

Serginho Groisman fica surpreso com pergunta de fã no Altas Horas (Reprodução)

Não existe razão para festa, existe sim a memória e a celebração. Nós continuamos relembrando os momentos maravilhosos que tivemos e continuamos tendo. E, ano que vem, aí sim, vamos fazer uma festa de comemoração.”  
 

O Altas Horas tem direção de Serginho Groisman e Adriana Ferreira. E direção de gênero de Mariano Boni, que também é responsável por Encontro com Fatima Bernardes, Mais Você, É de Casa e Conversa com Bial.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregar mais