Há 34 anos estreava Eu Prometo, última novela de Janete Clair

Lucas Cantomaia (Francisco Cuoco) e sua família em Eu Prometo
Publicidade

No dia 19 de setembro de 1983, a Globo estreava Eu Prometo, trama exibida na faixa das 22 horas. Trata-se da última novela assinada pela “maga das oito” Janete Clair, que faleceria em 16 de novembro de 1983, três meses antes da conclusão da história.

Eu Prometo contava a história de Lucas Cantomaia (Francisco Cuoco), um deputado federal que estava no auge de sua carreira política e almejava uma vaga no Senado Federal. Com reputação ilibada diante de seu eleitorado, o político cultiva a imagem de bom filho, bom marido e pai exemplar, além de ser considerado uma figura extremamente honesta. É casado com Darlene (Dina Sfat), com quem tem três filhas, Adriana (Júlia Lemmertz), Dayse (Fernanda Torres) e Dóris (Malu Mader). Lucas toca um projeto social chamado Organização de Bens Sociais, no qual reabilita ex-presidiários para reinseri-los na sociedade.

Entretanto, uma série de acontecimentos faz com que a boa imagem de Lucas Cantomaia seja ameaçada. Um destes acontecimentos é uma paixão desenfreada que o político passa a sentir ao conhecer a fotógrafa Kelly Romani (Renée de Vielmond), colocando o seu então casamento perfeito com Darlene em risco. Além disso, seu irmão, Justo Dinard (Marcos Paulo), um marginal que já passou pela cadeia várias vezes, tenta uma reaproximação com Lucas, alimentando muitas mágoas. Lucas tem, também, de lutar contra Horácio Ragner (Walmor Chagas), seu principal adversário político, que passa a atacá-lo sistematicamente; e, ainda, enfrentar o sério problema de alcoolismo pelo qual passa sua filha Dayse.

Continua depois da publicidade

Eu Prometo reativou o horário das 22 horas para novelas, uma faixa que não existia desde o ano de 1978, quando foi ao ar Sinal de Alerta. A direção da Globo resolveu retomar a “novela das dez” em razão da saúde já debilitada de Janete Clair, que tinha a intenção de escrever mais uma novela das oito, horário no qual se consagrara. A ideia do canal era reacostumar o público, novamente, com novelas no horário das dez, faixa em que, anteriormente, foram feitas muitas experiências bem-sucedidas.

Ainda para suavizar o trabalho de Janete Clair, a trama, inicialmente exibida de segunda a sábado, passou a ir ao ar de segunda a sexta. Os capítulos de Eu Prometo também ficaram menores, com 30 minutos de duração. Além disso, Janete ainda trabalhava com uma colaboradora, a autora Gloria Perez. Com sua morte, em novembro de 1983, Gloria Perez encerrou a trama sozinha.

Eu Prometo não foi o sucesso que a Globo esperava, fazendo a emissora, mais uma vez, desistir da “novela das dez”. Mas a faixa ainda retornaria mais uma vez, em 1990, com a estreia de Araponga. A trama de Dias Gomes foi concebida para bater de frente com Pantanal, que fazia sucesso na Rede Manchete, mas também não foi o sucesso esperado e, mais uma vez, a “novela das dez” foi extinta, desta vez definitivamente.

Em Eu Prometo, a personagem Darlene foi feita sob medida para a atriz Dina Sfat que, a princípio, recusara o papel. A direção da novela, então, pensou em Eva Wilma para vivê-la, mas Janete Clair acabou conseguindo convencer Dina Sfat a ficar com a personagem. Enquanto isso, Kelly foi escrita pela autora pensando em Elizabeth Savalla, mas, como a atriz fora escalada para Pão Pão Beijo Beijo, a personagem foi entregue à Renée de Vielmond. Eu Prometo marcou, ainda, as estreias de Malu Mader, Nina de Pádua, Cláudia Jimenez e Júlia Lemmertz na Globo.

Com 110 capítulos, Eu Prometo foi dirigida por Dennis Carvalho e Luís Antônio Piá, com supervisão de Paulo Ubiratan.

Leia também:

Há 67 anos, a TV brasileira nascia com a estreia da TV Tupi

Relembre a abertura de Eu Prometo:

Publicidade
© 2021 Observatório da TV | Powered by Grupo Observatório
Site parceiro UOL
Publicidade