Milena Toscano faz elogio a atores mirins de As Aventuras de Poliana: “Eles são muito mais profissionais que muitos adultos”

Publicado há 3 anos
Por Nucia Ferreira
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Grávida de cinco meses, Milena Toscano participou do lançamento de As Aventuras de Poliana, nova novela no SBT. Por conta da gestação, a atriz ficou um tempo sem saber o futuro da personagem no folhetim. Na trama, ela dá vida a Luísa, tia de Poliana que é obrigada a cuidar da menina quando ela se torna órfã. Amargurada e isolada de todos, aos poucos ela vai se rendendo ao jogo do contente e se tornando outra pessoa. Em entrevista ao Observatório da Televisão, Milena comemorou o fato de poder aprender tanto trabalhando com crianças como Sophia Valverde, a protagonista da trama, e Igor Jansen, intérprete de João Feijão. Para a atriz, a novelinha infantil poderá servir de exemplo para deixar as pessoas mais otimistas na vida.

Leia também: Orgulho e Paixão: Lorde Williamson e Susana armam plano para separar Darcy e Elisabeta

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Como foi o convite para fazer a novela?

Eu tinha acabado meu contrato com a Record, tinha acabado de fazer O Rico e Lázaro, e eu já fiz novela no SBT anos atrás, Os Ricos Também Choram, e me ligaram fazendo o convite.

Chegou a ter tempo de descansar entre um trabalho e outro.
Teve um tempinho pro lazer, pra lua de mel, bastante tempo de descanso. Eu acabei de gravar em agosto (O Rico e Lázaro) e só comecei a gravar (As Aventuras de Poliana)em dezembro.
Conta pra gente como é a Luisa.
A Luísa começa como uma pessoa muito amarga, muito fechada, muito isolada e aí, com o tempo, com o jogo do contente, quando a Poliana vem pra casa dela, uma criança, é uma novidade pra ela, esse dia a dia começa a mudar muito na vida dela. Isso no começo assusta, mas depois ela vai cedendo aos poucos.
É uma grande virada da personagem?
Ela sofreu tantos traumas e se fechou para o mundo. Ela não queria se relacionar com as pessoas. Mas ela é obrigada a cuidar da Poliana. E aí ela tem que cuidar daquela menina que é um poço de felicidade e ela vai mudando, tendo uma virada, aprendendo a olhar a vida pelos olhos de Poliana. Não é uma vira, é gradativo.
Você também é cheia de regras como a Luísa?
Eu sou certinha, de horário, eu não sou uma pessoa fechada. Eu sou uma pessoa super expansiva, mas eu sou bem regradinha.
Como é contracenar com a Sophia?
É uma coisa assim, maravilhosa.
Fica com o coração apertado de ter que dar tanta bronca nela?
Nossa, eu até choro. Ela adora chorar, a Sophia chora muito fácil. Às vezes ela fala: “Posso chorar?”, eu digo: “Não, para, eu não consigo”. Ela é uma princesa, é uma grande atriz, é impressionante. Eu aprendo com ela todos os dias. Ela é super concentrada, super dedicada, muito profissional. É um grande presente trabalhar com uma criança assim. Não é só porque ela é minha ‘filha’ na novela, eu passo 90% das minhas cenas com a Sophia. É o dia inteiro. No começo eu fiquei pensando como iria ser. Criança, às vezes não obedece, às vezes é meio dispersa, mas ela é muito profissional, muito talentosa e é um grande presente que aconteceu na minha vida. Eu quero a Sosso pro resto da minha vida.

E você está grávida, está com quantas semanas?

Eu estou com 20 semanas, cinco meses.

 
E como fica a personagem quando você tiver o bebê?
Aí eu não sei, é com o (Reynaldo) Boury (diretor), e com a produção. Eu continuo gravando.
Teve que mudar o figurino por conta da gravidez?
As roupas dela já eram assim. Como a Luísa é uma pessoa que quase não sai de casa, tem um figurino bem mais confortável, não mudou em nada, até então. Afora o futuro de Luiza não é comigo.
Você ficou chateada com o que foi divulgado sobre você ter passado por problemas por conta da gravidez?
Olha, eu estou aqui todos os dias, gravando todos os dias, a notícia (da gravidez) foi super bem recebida, eles estão me dando apoio em tudo. A gente está gravando normalmente e eu não tenho motivo pra ficar chateada com tudo que eu estou vivendo. O que eu estou sentindo em relação à casa é que eu fui sempre bem recebida, desde a primeira vez que eu pisei aqui 10 anos atrás. O Boury eu brinco que vai ser quase avô da minha criança de tanto carinho que ele tem. O que foi falado, o que não foi falado… Eu estou há tanto tempo nessa carreira que eu já estou acostumada.
E como está a expectativa com a gravidez?
Eu estou muito feliz, o momento mais feliz da minha vida.
A novela fala muito de otimismo, o que mais você acha que pode ser explorado no tema?
Eu acho que não é só a questão do otimismo. Eu acho que é a questão de você realmente começar a olhar os problemas da vida com outro prisma, não só falando na linguagem infantil com o jogo do contente, é você ver que, às vezes, as coisas na vida acontecem pra que você aprenda alguma coisa. Pra que isso sirva, lá na frente, pra um outro motivo. Se eu não tivesse passado por aquilo, talvez eu não estivesse aqui hoje. De mostrar que a vida tem os seus ‘porquês’ mesmo. Isso é muito interessante de ver. Tudo olhando pelos olhos de uma criança, que é uma coisa de extrema ingenuidade, de pureza, fica mais interessante ainda. A gente, como adulto, olhando essas crianças trabalharem que são completamente fofas, queridas. Esses dias eu gravei uma cena com a Sophia que era uma bronca apenas. Na hora que eu cheguei, ela falou:”A gente vai tem uma cena incrível pra gravar hoje”. Tem um lugar no olhar da criança que desperta. Se você parar pra prestar atenção, te ensina muita coisa. Acho que a Poliana tá vindo exatamente pra ensinar o adulto a enxergar pelos olhos de uma criança.
Até você, com a gravidez, não é?
Totalmente. E olhar com o olhos de uma criança, você acaba sempre jogando o jogo do contente. Porque a criança tá chorando aqui agora e daqui a pouco está rindo. Em questão de segundos a energia muda.
Você tem essa visão positiva da vida?
Eu sou uma pessoa muito positivista, sempre fui. Mas eu acho que a gente vai ficando adulto, tem problemas, tem conta pra pagar, tem coisa acontecendo e você acaba, às vezes, não levando esse jogo do contente tão a sério. Mas a Poliana tem me ensinado bastante. Eu sempre ouvi: ‘não seja tão Poliana’ ou ‘para de ser Poliana’, ou ‘você é muito Poliana’. Isso sempre foi um adjetivo pouco explicado para quem ouve e acho que agora as pessoas vão entender o que é ser Poliana ou o mundo de Poliana. Eu acho  sensacional esse trabalho.
Como é para você trabalhar com o público infantil?
É totalmente novo pra mim. Eu já tive um público da Record, um público da Globo. O público do SBT é novo, e contracenar com muita criança também faz muita diferença no trabalho. Você tem que levar eles a sério, como adultos. Eles são muito mais profissionais que muitos adultos que você encontra por aí.  Eu só espero que as crianças gostem cada vez mais da gente. A gente está fazendo com muito amor e carinho.
E contracenar com tanta criança?
Trabalhar com criança, não só como mãe, mas também como pessoa, quando você tem muito contato com criança, você acaba tendo uma vida mais leve e divertida. Eu to conversando muito com a Sosso e com o Igor. Já chego aqui dando risada, sempre na brincadeira. Intervalo de cena a gente tá sempre brincando de Uno, Stop, então você acaba se divertindo o dia inteiro. Eu saio daqui leve.
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio