Publicidade

Débora Olivieri avalia retorno de Novo Mundo: “Eu amei”

Atriz revela a importância da personagem para sua carreira

Publicidade

A atriz Débora Olivieri afirmou que amou o fato de Novo Mundo ter sido escolhida para uma reprise às 18h, na Globo. A emissora recorreu à trama, como uma espécie de esquenta para Nos Tempos do Imperador, sequência do período histórico retratado na novela que Olivieri viveu Carlota Joaquina.

A emissora carioca paralisou as gravações de suas novelas inéditas para proteger seus funcionários em meio à crise sanitária provocada pelo novo coronavírus. Para a atriz, a novela é ideal para o telespectador ultrapassar esse período de angústia, provocado pela pandemia. Confira a íntegra da entrevista abaixo.
 

O que você achou de ‘Novo Mundo’ ter sido escolhida para ser reprisada neste momento? Como você recebeu a notícia da volta da novela?

Continua depois da publicidade

Eu amei ‘Novo Mundo’ ter sido escolhida pra ser exibida novamente. Porque amei ver, fui muito fã dessa novela, e viver a Carlota Joaquina, pra mim, foi um presente. Primeiro porque é um personagem icônico como esse. E eu amo falar em espanhol. Pra mim é o personagem mais marcante e o que eu mais gostei de interpretar de todos os que já interpretei na televisão. Tirando que o texto é primoroso, uma aula de história, além de direção de arte e atores esplendorosos. Pena que é num momento como esse. Quando soube das edições especiais, pensei que seria uma boa termos ‘Novo Mundo’ antes de ‘Nos Tempos do Imperador’. E dito e feito. No meio de tempos de angústia, pelo menos teremos uma novela como essa que, para mim, não tem igual.

Carlota ( Débora Olivieri ) e Dom João ( Leo Jaime ) (Reprodução)

Qual a importância desse personagem na sua carreira?

Ela foi um marco pra mim. Eu fui chamada com os trabalhos iniciados e correspondi à direção e produção imediatamente. Isso mostrou que tenho capacidade de viver qualquer personagem. Eu achava que era uma atriz cômica, e o Jorginho Fernando me falava que eu era uma atriz dramática. Eu achava que não. Depois da Carlota, o meu nome entrou num outro nicho. Porque não foi fácil fazer, principalmente, por ter falado em outra língua, estar tão diferente do que sou. É uma personagem que eu tinha que fazer de verdade, não podia fazer estereotipado. E é difícil fazer isso falando em outro idioma e com aquele figurino maravilhoso. E também foi muito importante ter gravado no Museu Nacional do Rio de Janeiro antes de ser engolido pelas chamas. Eu gravava muito lá. Eu fico feliz de tê-lo frequentado pelo menos uma vez por semana.

Que momento das gravações você lembra com mais carinho?

A cena que eu mais gostei de fazer foi quando a Carlota vai pra cima do Piatã (Rodrigo Simas). Ela é pega em flagrante pela Leopoldina (Letícia Colin). Achei essa cena espetacular.  
 

Como você acha que o público vai receber a novela agora?

O público vai amar. Vai começar com ‘Novo Mundo’ e terminar em ‘Nos Tempos do Imperador’. Eu acho legal essa sequência, essa aula de história. A repercussão foi incrível. Assim que foi anunciado, recebi muitas mensagens felizes. Estou também muito feliz de poder rever a Carlota.

Dom João ( Léo Jaime ) e Carlota ( Débora Olivieri ) (Reprodução)

Tem alguma característica ou algo que você aprendeu com o personagem que ficou pra sua vida?

Eu aprendi a como não ser com os outros. A Carlota era egoísta, histérica, uma personagem asquerosa, mas, ao mesmo tempo, maravilhosa (risos).
 

Quem você conheceu na novela e mantém contato até hoje?

O Leo Jaime. Ele é maravilhoso e um companheiro de trabalho incrível. Foi maravilhoso fazer a esposa do Dom João VI. Quando entrei o elenco já tinha feito alguns trabalhos de preparação e me dei muito bem com todos os atores. A Letícia Colin eu já conhecia, mas estreitamos ainda mais os laços. E os diretores também. Alguns diretores também estão em ‘Salve-se Quem Puder’.

Publicidade
© 2020 Observatório da TV | Powered by Grupo Observatório
Site parceiro UOL
Publicidade