sucesso

Única novela inédita no ar, Amor Sem Igual vive boa fase

Novela entra em momento decisivo e vê a audiência aumentar

Publicado em 13/11/2020

Em meio às dificuldades impostas pela pandemia do coronavírus, a Record TV conseguiu elaborar um protocolo de segurança e finalizar Amor Sem Igual, que havia sido interrompida. A emissora concluiu as gravações dos capítulos da novela de Cristianne Fridman e retomou a exibição da produção, fazendo com que a saga de Poderosa (Day Mesquita) seja a única novela brasileira inédita no ar atualmente.

Depois da exibição de um compacto dos primeiros capítulos da novela, Amor Sem Igual retomou sua história num momento-chave. A novela vive uma fase de reviravolta, com a chegada de Angélica, a Poderosa, à casa de sua família. Procurada pelo pai, Ramiro (Juan Alba), e ameaçada de morte por seu irmão, Tobias (Thiago Rodrigues), a prostituta se embrenha num ninho de cobras em busca da desforra.

Ou seja, Amor Sem Igual vive um momento de alta voltagem. Soma-se a isso o fato de ser a única novela inédita em exibição. Há todo um contexto a favor da obra, que mostra um fôlego interessante. O folhetim registra curva ascendente de audiência.

Amor Sem Igual mostrou-se, desde o início, uma novela capaz de recuperar algum prestígio das tramas contemporâneas da Record TV. Depois de Topíssima, que teve um desempenho mediano, a nova história chegou trazendo alguma novidade ao atual departamento de dramaturgia da emissora. Em meio a tramas bíblicas, uma novela que tem uma prostituta como mocinha soa até como ousadia.

Embora aborde o assunto quase num tom de comédia romântica, ainda assim Amor Sem Igual consegue alcançar um lugar que as novelas da emissora não vinham alcançando há muito tempo. A trama remete à fase de ouro da Record TV, que já produziu folhetins acima da média, como Vidas Opostas, Cidadão Brasileiro e Chamas da Vida.

Infelizmente, Cristianne Fridman é a última remanescente dentre os novelistas desta fase áurea da emissora. E a autora trabalha sem descanso, emplacando novelas seguidas há alguns anos, circulando entre tramas bíblicas e não-bíblicas. Renovar seu banco de autores é a grande urgência para que a dramaturgia da Record volte a ser relevante. Deviam aproveitar a boa fase de Amor Sem Igual para dar o gás necessário no setor.

*As informações e opiniões expressas nessa crítica são de total responsabilidade de seu autor e podem ou não refletir a opinião deste veículo.