Compre iPhone SE na Apple a partir de R$ 3.779,10 à vista ou em até 12 vezes. Frete grátis para todo o Brasil
Saiba mais
Publicidade
Não foi possível carregar anúncio
Publicidade
Não foi possível carregar anúncio
sem carisma

Mesmo ruim, Ilha de Ferro serve como “aperitivo” à volta de Verdades Secretas

Série não consegue envolver o público com seu excesso de dramas

Publicado em 20/08/2021
Publicidade
Não foi possível carregar anúncio

Produção do Globoplay, Ilha de Ferro ganhou uma exibição diária na TV Globo. A produção, na verdade, serviu apenas como “abre alas” para a volta da dramaturgia diária da emissora na faixa das 23 horas, que terá sequência com a reprise de Verdades Secretas.

Prevista para três temporadas, Ilha de Ferro acabou cancelada pelo Globoplay ao final de seu segundo ano. Apesar dos inúmeros elogios, inclusive da revista Variety, que a elegeu como uma das melhores produções internacionais do ano de 2018, a série não disse a que veio.

Continua depois da publicidade
Não foi possível carregar anúncio

Esta exibição na TV aberta deixou isso bem claro. Dante (Cauã Reymond) é um “herói anti-herói” sem um pingo de carisma, e é muito difícil torcer por ele. Além disso, seus inúmeros dramas pessoais e profissionais apenas se repetem a partir da segunda temporada, o que faz Ilha de Ferro andar em círculos. Não há um bom desenvolvimento dos dramas, e a série se apoia apenas num emaranhado de tragédias. Não é uma produção envolvente.

Resgate da novela das onze

Entretanto, a exibição de Ilha de Ferro neste mês de agosto na linha de shows da Globo foi estratégica para a programação da emissora. Além de oferecer algum conteúdo inédito na TV em meio a tantas reprises, a série também serviu como um “esquenta” para a faixa, que terá a reprise de Verdades Secretas como grande trunfo.

Ou seja, a Globo ensaia retomar a fórmula de se exibir dramaturgia diária num horário mais avançado, hábito que foi abandonado há alguns anos quando as chamadas “superséries” foram abolidas. Retomar a ideia neste momento não é por acaso: no ano passado, The Voice Brasil penou ao enfrentar A Fazenda, da Record TV. Por isso, neste ano, a Globo está se precavendo.

Vale lembrar que a “supersérie” nasceu, chamada de “novela das onze”, a partir do remake de O Astro, exibido em 2011. O objetivo era exatamente esse: frear A Fazenda. Afinal, quando um reality show diário emplaca, dificilmente a concorrência consegue fazer o público mudar de canal. Mas, ao apostar em dramaturgia diária, a Globo consegue criar um hábito no público, ficando mais forte diante da concorrência.

Verdades Secretas foi um grande sucesso em 2015. E é pouco provável que sua reprise não seja igualmente bem-sucedida. Walcyr Carrasco, o autor, sabe como falar às massas, além de oferecer uma trama com um inegável apelo. Ou seja, este repeteco não servirá apenas para turbinar a estreia de Verdades Secretas 2, mas também para impedir a concorrência de roubar preciosos pontinhos no ibope… A briga vai ser boa.

*As informações e opiniões expressas nessa crítica são de total responsabilidade de seu autor e podem ou não refletir a opinião deste veículo.

Publicidade
Não foi possível carregar anúncio

Deixe o seu comentário

Em Alta

Carregando...

Erro ao carregar conteúdo.

Publicidade
Não foi possível carregar anúncio
Publicidade
Posting....