Falhas técnicas prejudicaram temporada de PopStar

Publicado há 10 meses
Por André Santana
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

PopStar encerrou sua terceira temporada na Globo consolidando um formato simples e funcional. Pode-se chamar a atração de “karaokê da Globo”, mas é irresistível ver famosos fora de sua zona de conforto, mostrando novas facetas ao público. Só por isso, o programa de Taís Araújo já vale o ingresso. Em 2019, não foi diferente. Bom elenco, números interessantes e muito “confete” caracterizaram a obra. Justamente por ter tantas qualidades, suas falhas técnicas constantes mancham a trajetória do programa. Poderia ser melhor.

Som que falha, comercial que não entra, áudios vazados e apresentadora perdida no palco. São falhas que são vistas desde a primeira edição do PopStar, quando ainda era apresentado por Fernanda Lima. A atual apresentadora, Taís Araújo, até já desenvolveu traquejo para lidar com as gafes da melhor maneira possível. Sem dúvidas, a performance da atriz ajuda a dar ritmo ao programa quando tudo parece fora do lugar.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Mas lá se vão três anos e parece que a coisa não muda. PopStar é um divertimento familiar tão adequado para as tardes de domingo, que é lamentável que boa parte das notícias que saem sobre o programa sejam sobre seus problemas técnicos. Claro, falhas acontecem, e nenhum programa ao vivo escapa deste temor. No entanto, a emissora deveria aprender com os erros e evoluir a cada temporada. PopStar é muito divertido e, por isso, merece mais cuidado.

Jakson Follmann vencedor

Felizmente, a grande final do PopStar não apresentou falhas visíveis. Isso valorizou a vitória de Jakson Follmann, que foi a grande surpresa da temporada. O jogador de futebol mostrou grande afinação e domínio de voz, com apresentações regulares ao longo de toda a temporada. Além disso, os demais finalistas também não decepcionaram. Danilo Vieira, Eriberto Leão, Helga Nemeczyk, Totia Meireles e Yara Charry foram muito bem ao longo da atração.

E Taís Araújo continua esbanjando simpatia no comando do PopStar. Ela se envolve verdadeiramente com a disputa, e isso fica muito evidente no palco. Enquanto isso, João Côrtes também foi muito bem como co-apresentador, e até merecia mais espaço.

Ou seja, PopStar vai amadurecendo a cada nova temporada. A dinâmica funciona, o elenco é poderoso e a competição é realmente envolvente. Só falta mesmo resolver a questão das falhas técnicas para o programa ficar redondinho.

*As informações e opiniões expressas nessa crítica são de total responsabilidade de seu autor e podem ou não refletir a opinião deste veículo.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregar mais