Amor de Mãe acerta ao escalar atrizes pouco vistas em novelas

Publicado há um ano
Por André Santana
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Um dos grandes acertos de Amor de Mãe é o seu elenco repleto de estrelas. A novela das nove da Globo reúne um time de grandes atores, que imprimem mais veracidade ao texto de Manuela Dias. Além disso, a produção conta com a grata surpresa de ter, em seu elenco, atrizes que não costumam aparecer em novelas com muita regularidade. Arieta Corrêa, Débora Lamm e Clarissa Pinheiro são algumas destas boas profissionais que, agora, ganham a chance de aparecer ao grande público.

Arieta Corrêa é uma atriz reconhecida no teatro e no cinema. Porém, na televisão, sua presença sempre foi tímida. Depois de Chiquita, a empregada do Senador Caxias (Carlos Vereza) em O Rei do Gado (1996), a atriz apareceu mais em participações. Mas, em Amor de Mãe, ela tem a chance de retornar com um personagem fixo e marcante. Sua Leila, que acabou de sair de um coma, emociona ao mesmo tempo em que desperta o ódio, em razão das armações que faz para ficar com Magno (Juliano Cazarré).

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Menos bissexta, mas figura rara em novelas, é Débora Lamm. A atriz, conhecida por tipos cômicos, esteve em muitos humorísticos nos últimos anos. Agora, ela retorna ao horário nobre em grande estilo. Miranda começa a ganhar mais espaço em Amor de Mãe, neste momento em que descobriu uma traição e quer pagar com a mesma moeda. Talentosa e naturalmente engraçada, ela imprime leveza à produção caracterizada pelo drama intenso.

Estreia em Amor de Mãe

Quem também tem chamado a atenção nos últimos capítulos de Amor de Mãe é Clarissa Pinheiro. Sua personagem, a empregada doméstica Penha, tem se tornado figura-chave em várias tramas da novela, já que circula por muitos núcleos e tem conexão com vários personagens. A atriz, ótima no papel, emplaca em Amor de Mãe o seu terceiro trabalho na Globo. Antes, ela esteve em Justiça (2016) e Onde Nascem os Fortes (2018), sempre com o diretor José Luiz Villamarim, também à frente de Amor de Mãe.

Num segmento como o das telenovelas, onde a repetição de elenco é constante, é sempre interessante quando uma produção abre espaço para rostos dos quais o público está menos habituado. Assim, dá chance a profissionais experientes, mas pouco requisitados, e dá um frescor ao audiovisual brasileiro.

*As informações e opiniões expressas nessa crítica são de total responsabilidade de seu autor e podem ou não refletir a opinião deste veículo.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio