Dani Calabresa é boa aquisição, mas não refresca a situação do Se Joga

Dani Calabresa invade o acervo de figurino da TV Globo em sua estreia no Se Joga
Publicidade

Ainda atirando para todos os lados na tentativa de elevar a audiência das tardes da Globo, o Se Joga agora conta com o reforço de Dani Calabresa. A comediante, que deixou o Zorra recentemente, lançou na semana passada o quadro Interrompemos a Programação, no qual brinca com os bastidores da TV. Sem dúvidas, a presença de Dani valoriza a atração. Mas, ao menos por enquanto, não dá ao Se Joga a personalidade que a atração tanto busca.

Interrompemos a Programação vem para ocupar o espaço do humor no Se Joga. Trata-se de um segmento que o programa apresenta desde a estreia, em quadros comandados por Paulo Vieira, Marcelo Adnet e Jefferson Schroeder. O quadro tem uma vantagem com relação aos seus antecessores: está mais em sintonia com o que parece ser a aposta mais segura do Se Joga, que são as pautas envolvendo televisão. Cada vez mais, o vespertino vem vestindo as cores do Vídeo Show e se tornando uma revista sobre a programação da Globo.

No entanto, Se Joga ainda parece querer fugir desta vocação. Assim, ao mesmo tempo em que aumenta o espaço para se comentar novelas, o programa ainda aposta em games esquisitos e quadros desinteressantes, onde se inclui até conselhos amorosos. Nesta “salada”, uma boa ideia como o Interrompemos a Programação acaba sendo diluída. A falta de personalidade do Se Joga respinga até mesmo em seus melhores quadros. Assim, o saldo é negativo. O que é uma pena.

Dani Calabresa

Ao menos, o Interrompemos a Programação dá um espaço interessante para Dani Calabresa brilhar. A comediante está no elenco da Globo desde 2015, mas, até hoje, tem tido uma passagem mais apagada do que merecia. Sim, ela sempre foi um destaque do Zorra, mas dividia a cena com um elenco numeroso e igualmente talentoso. Ela também faz uma ótima recriação da Dona Catifunda, na nova Escolinha do Professor Raimundo. Mas ainda é pouco.

No Interrompemos a Programação, Dani parece mais liberta para fazer suas palhaçadas. Com um humor debochado, meio “macarrônico” e recheado de besteirol, a jovem parece se deliciar nas farras que vem promovendo nos bastidores da Globo. Ainda não é um grande espaço, mas é a oportunidade que ela encontrou para fazer algo mais autoral. E o resultado é muito bom.

Sendo assim, cabe ao Se Joga valorizar ainda mais a presença de Dani Calabresa. Se o futuro da comediante no canal ainda está em aberto, já que não há grandes projetos para ela até aqui, Dani pode ser um nome interessante num plano de revitalizar o Se Joga. Nesta busca por uma identidade, Dani pode ser nome importante para colaborar. Humor e bastidores formam uma receita que pode funcionar, se houver foco.

*As informações e opiniões expressas nessa crítica são de total responsabilidade de seu autor e podem ou não refletir a opinião deste veículo.   

Publicidade