Religião

Padre será pastor? Ator do remake de Renascer faz “laboratório” com evangélico de esquerda

Breno da Matta conhece Pastor Henrique Vieira e sugere troca de religião de Padre Lívio

Publicado em 30/10/2023

Ator do remake de Renascer, Breno da Matta se prepara para viver padre Lívio com a “bênção” de um dos principais líderes religiosos da atualidade: o pastor Henrique Vieira, eleito deputado federal em 2022 pelo PSOL. O “laboratório” sugere que o personagem deixará de ser católico para se tornar evangélico.

Em sua rede social, Breno publicou uma foto ao lado de Henrique Vieira, conhecido por combater o fundamentalismo religioso e defender pautas progressistas, como o direito ao aborto e ao casamento entre pessoas do mesmo sexo.

“Prazer imenso conhecer e trocar com essa figura ímpar! Pastor Henrique Vieira é uma pessoa e um religioso necessário, fundamental nesse momento que vive o Brasil. A luta/disputa é urgente pela verdadeira palavra de Jesus, seus ensinamentos sobre amor, empatia, tolerância, acolhimento, afeto. Que consigamos construir novos imaginários sobre fé, espiritualidade, sociedade e amor ao próximo (por mais que o próximo seja muito diferente de nós)”, escreveu o ator.

Breno ainda publicou as legendas #vempastorlivio e #bençapastorlivio, indicando uma possível mudança na religião do personagem em relação à trama original, exibida pela Globo em 1993. O padre interpretado por Jackson Costa engajou-se a favor da reforma agrária e criticou a ditadura militar.

Um dos principais debates da novela, caso a mudança prevaleça, pode ser esvaziado: o celibato obrigatório para sacerdotes. Em 1993, Lívio se apaixonou por Joaninha (Tereza Seiblitz), que era casada com Tião Galinha (Osmar Prado) e passou a sofrer o pão que o diabo amassou depois que o marido foi possuído pelo demônio.

A guinada evangélica da Globo avançou com o sucesso de Vai na Fé, novela das sete protagonizada por uma evangélica que escondia seu passado como dançarina de funk. A emissora que se preocupa com o avanço da religião e de boicotes promovidos por líderes conservadores.

Siga o colunista no Twitter e no Instagram.

© 2024 Observatório da TV | Powered by Grupo Observatório
Site parceiro UOL
Publicidade