É falso “documento sigiloso” da Globo sobre Covid-19 contra Bolsonaro

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

É falso o documento que circula nas redes sociais e em aplicativos de mensagem atribuído ao jornalismo da Globo. Nele, há instruções para a cobertura da pandemia de coronavírus, destacando a culpa do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) pela crise sanitária que provocou mais de 389 mil mortes.

A emissora desmentiu em sua página de boatos o arquivo compartilhado com frequência no WhatsApp, assinado pelo editor-chefe do Jornal Hoje, Claudio Marques. O telejornal apresentado por Maria Júlia Coutinho é um dos principais alvos de Bolsonaro e seus apoiadores, que já incitaram ataques de ódio e publicaram mentiras a respeito da jornalista.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

“A Globo tem como pilar o jornalismo de qualidade, praticado com isenção e pluralidade, o que é reconhecido por seu público. E tem participado ativamente da luta contra notícias falsas com o projeto Fato ou Fake, que distingue fake de fato no que circula hoje em dia. Por isso, reforça que é falso o documento supostamente vazado que está sendo compartilhado nas redes sociais com o que seriam recomendações de pauta sobre a Covid-19 assinadas pelo editor-chefe do Jornal Hoje, Claudio Marques”, informou o canal.

A coluna recebeu o material falso no último sábado, em um grupo de WhatsApp. O aplicativo sinalizou que aquele conteúdo havia sido “encaminhado com frequência” para outras pessoas.

“Vazou… Apresentador demitido pela Globolixo distribui a sinistra pauta da Covid-19. Vamos compartilhar nos grupos para que todos saibam como facínoras agem”, diz a mensagem espalhada no WhatsApp.

O teor do material mentiroso aumenta a suspeita de que foi produzido por um eleitor do presidente. “Globolixo” é a forma pejorativa pela qual apoiadores do governo federal chamam a Globo. O símbolo da emissora mostrado no arquivo, inclusive, está desatualizado (é o de 2008), reforçando a falsidade do conteúdo.

O documento lista orientações para os jornalistas da emissora sempre responsabilizarem Bolsonaro e o Ministério da Saúde em relação à pandemia. Para dar mais veracidade, o autor da mentira incluiu procedimentos já adotados pela Globo, como o minuto de silêncio com número de mortos estampado no encerramento do Jornal Nacional. Outros telejornais, no entanto, não realizam a mesma homenagem às vítimas. Portanto, não é um padrão imposto pela emissora.

O conteúdo falso também sugere que a Globo quis “desacreditar” o chamado “tratamento precoce”, com medicamentos ineficazes contra a Covid-19 e constantemente divulgados pelo presidente. Neste caso, o jornalismo da Globo segue as determinações da OMS (Organização Mundial da Saúde), e não a “prescrição médica” de Bolsonaro.

O compartilhamento deste material ocorre dias antes da instalação da CPI da Covid no Senado, nesta terça-feira (27), que investigará prefeitos, governadores, ministros da Saúde e o presidente da República em relação às medidas de combate à pandemia.

Leia a íntegra do documento falso:

DOCUMENTO SIGILOSO 04.20 INTERCHEFIAS

PAUTA PARA COVID – REDE GLOBO 2020

1 – Utilizar 80% do tempo dos jornais e noticiários somente com a temática da COVID 19;

2 – Proibido mencionar outros tipos de doenças e mortes, somente aquelas provocadas pela Covid;

3 – Enfatizar e destacar, com gráficos estatísticos, o número de pessoas mortas ou contaminadas diariamente e o total acumulado;

4 – Nunca comentar ou divulgar o número de pessoas recuperadas;

5 – Desacreditar o uso de procedimentos médicos e kits de remédios destinados à prevenção da doença;

6 – Entrevistar, diariamente, as pessoas recuperadas e as pessoas que perderam familiares e fazer minutos de silêncio, estampando por trás o número de mortos;

7 – Não envolver os governadores e prefeitos nas discussões sobre as operações de combate ao Covid nos Estados e Municípios, somente o presidente da república, o ministro da saúde e a ANVISA;

8 – Destacar a falta de leitos e UTIs, a falta de oxigênio, a falta de remédios e kits para intubação, colocando sempre a responsabilidade no presidente da republica e no ministro da saúde;

9 – Mostrar as filas para vacinação e a lentidão do processo de aquisição e distribuição de vacinas, responsabilizando sempre o presidente da república e o ministério da saúde;

10 – Não dar espaço para autoridades, servidores ou pesquisadores que defendam a politica de combate ao Covid implementada pelo governo bolsonarista

NOTA: Esta Diretoria acompanhará os respectivos editores, apresentadores e jornalistas com vista ao fiel cumprimento desta pauta e adotará, no caso de descumprimento, as medidas cabíveis Editor-Chefe Cláudio Marques

Leia a íntegra da resposta da Globo:

Alerta: é falso documento que circula nas redes sociais relacionado a pautas da Covid-19

A Globo tem como pilar o jornalismo de qualidade, praticado com isenção e pluralidade, o que é reconhecido por seu público. E tem participado ativamente da luta contra notícias falsas com o projeto Fato ou Fake, que distingue fake de fato no que circula hoje em dia. Por isso, reforça que é falso o documento supostamente vazado que está sendo compartilhado nas redes sociais com o que seriam recomendações de pauta sobre a Covid-19 assinadas pelo editor-chefe do Jornal Hoje, Claudio Marques.

A Globo continuará vigilante e atuará de pronto na prevenção e em reação às denúncias de campanhas veiculadas em sites que disseminam desinformação, como sempre fez, e reafirma o seu compromisso com informação correta e com o seu o público.

Periodicamente, surgem sites e perfis falsos em nome da Globo ou de seus talentos. Para ajudar o telespectador a se prevenir contra essas páginas, a emissora mantém permanentemente em seu site uma área de Boatos e Alertas, na qual o telespectador e o internauta podem se informar sobre o que anda circulando na rede.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio