Globoplay

Novela polêmica que parou o Brasil na década de 1990 será resgatada pela Globo

Trama de Gloria Perez demorou para sair do papel e gerou (muita) discussão

Publicado em 27/04/2023

Uma novela clássica e polêmica que parou o Brasil na década de 1990 será resgatada pela Globo em breve: Barriga de Aluguel, trama que fez muito sucesso no horário das 18h.

A produção será disponibilizada no Globoplay, plataforma de streaming da emissora, a partir de 8 de maio, com todos os capítulos na íntegra.

Escrita por Gloria Perez, a obra é pedida há tempos por muitos fãs. Foi exibida originalmente entre 1990 e 1991 e reprisada duas vezes: uma no Vale a Pena Ver de Novo e outra no Canal Viva.

Clara (Cláudia Abreu) em Barriga de Aluguel
Clara Cláudia Abreu em Barriga de Aluguel

Tema parou o país

Barriga de Aluguel, como o próprio nome indica, tratou de um tema pouco convencional para a época. Clara (Cláudia Abreu), a protagonista, aceita alugar seu útero para gerar um filho do casal Ana (Cássia Kis) e Zeca (Victor Fasano).

Entretanto, a mocinha se apega à criança durante a gestação. Mesmo assinando um contrato, se recusa a entregar o bebê, criando um grande conflito que permeia toda a novela. Depois de muita disputa na Justiça, o final ficou em aberto, sem a definição de quem conseguiu a guarda de José Carlos (Bruno Moreira).

O desfecho pegou o público de surpresa, já que todos estavam curiosos para saber qual seria a decisão. Segundo Gloria Perez, em entrevista ao livro Autores, Histórias da Teledramaturgia, nem ela sabia o que fazer.

Aquela era uma situação para a qual as instituições, as leis, ainda não tinham uma resposta. Por isso decidi deixar em aberto. As duas personagens chegavam à conclusão de que, quer elas quisessem, quer não, aquele filho tinha duas mães. Então elas se uniam, cada uma dava sua mão à criança, e a novela terminava assim“, relatou.

Cássia Kis, Victor Fasano e Cláudia Abreu em Barriga de Aluguel
Cássia Kis com Victor Fasano e Cláudia Abreu em Barriga de Aluguel

Para alimentar a discussão, a novela contou até com uma repórter que questionava a opinião das pessoas na rua. O sucesso foi tanto que Barriga de Aluguel foi espichada, terminando com 243 capítulos, uma das mais longas da Globo.

Vale destacar ainda que a produção demorou para sair do papel: foi proposta pela autora na década de 1980 e rejeitada pela emissora. Depois, substituiria O Salvador da Pátria, mas perdeu a vaga para Tieta. Por fim, felizmente foi aprovada para o horário das 18h, entrando no lugar de Gente Fina e se consolidando como uma das novelas mais aclamadas da Globo.

© 2024 Observatório da TV | Powered by Grupo Observatório
Site parceiro UOL
Publicidade