Mais do que você gosta.
Assine o Star+
Publicidade
Não foi possível carregar anúncio
Publicidade
Não foi possível carregar anúncio
Mês da Mulher

Canal Lifetime premia cantora baiana Margareth Menezes

Também foram concedidos troféus a mulheres que se destacaram na Argentina, Chile, Colômbia e México.

Publicado em 06/03/2022
Publicidade
Não foi possível carregar anúncio

No mês em que se comemora o Dia Internacional da Mulher, celebrado em 8 de março, o canal Lifetime anuncia as ganhadoras do seu troféu Lifetime Awards América Latina.

É a segunda edição do prêmio, que neste ano tem entre as homenageadas a cantora brasileira Margareth Menezes.

Continua depois da publicidade
Não foi possível carregar anúncio

O canal creditou a escolha da cantora baiana ao fato de Margareth ter sido também eleita entre as 100 afrodescendentes mais importantes do mundo, por uma organização ligada à ONU.

Quero saudar todas essas mulheres maravilhosas”, disse Margareth Menezes.

Na sua fala de agradecimento, ela destacou a necessidade de reconhecimento do artista negro no Brasil.

É como se fosse um acontecimento, algum ineditismo a pessoa negra ser um colaborador na contemporaneidade”, disse ela.

Como ativista de causas das mulheres negras– Margareth está à frente de uma série de projetos de apoio a mulheres jovens e meninas, em Salvador/Bahia –, ela também prega uma corrente de apoio entre elas, na busca de oportunidades.

 “As mulheres podem fazer reverências entre si”, diz a artista, lembrando que o reconhecimento das capacidades e dos talentos se fortalece, quando esta corrente é feita.

A cantora encerrou sua participação citando versos de uma composição que fez junto ao músico baiano Carlinhos Brown: “O universo é uma cópia da barriga da mulher”.

A cerimônia pode ser assistida na sua íntegra aqui.

Trajetória de Margareth Menezes

Com uma carreira que já soma 35 anos de atuação, a cantora e compositora Margareth Menezes é uma das principais representantes da música baiana e brasileira.

Também atriz e empresária, ela acumula 17 trabalhos lançados, entre LPs, CDs e DVDs, e 23 turnês internacionais por todos os continentes.

Há 17 anos ela preside a Associação Fábrica Cultural, organização social fundada por ela em seu bairro de origem, na Península de Itapagipe, em Salvador/BA.

Além de ter sido nomeada como uma das personalidades negras mais influentes do mundo pela Mipad 100 em 2021, em 2020 Margareth foi indicada pela quarta vez ao prêmio Grammy.

Ela também foi nomeada embaixadora do Folclore e da Cultura Popular do Brasil pela IOV/Unesco.

O álbum mais recente da cantora é “Autêntica”, lançado em 2019. Gravado em quatro cidades – Salvador, São Paulo, Nova York e Paris -, o disco foi indicado ao Grammy Latino 2020 na categoria de Melhor Álbum de Música de Raízes em Língua Portuguesa.

Foi a quarta indicação da artista ao prêmio, sendo a segunda ao Grammy Latino. A primeira foi em 2006, com “Pra Você”, que concorreu na categoria Melhor Álbum Brasileiro de Música Pop.

Ela também foi indicada duas vezes ao Grammy Awards, com “Kindala”, em 1993, e “Brasileira ao Vivo: Uma Homenagem ao Samba-Reggae”, em 2007, este em duas categorias: Melhor Álbum Brasileiro de World Music e Melhor Álbum de Música Regional Brasileira.

Ainda entre os prêmios mais recentes destacam-se o Life Achievement Award, da Brazilian International Press Awards, recebido em 2017, nos Estados Unidos, pela sua contribuição para a música.

E, em 2019, ela recebeu a condecoração do prêmio Proclamation, concedido pela Prefeitura de New Jersey, também nos EUA.

Televisão

Como atriz, Margareth Menezes foi convidada para protagonizar um seriado de streaming, na Wolo TV, plataforma nacional com conteúdo focado na população negra.

Trata-se da série Casa da Vó. Ele vive Teresa, uma ex-funcionária pública bem-sucedida que mora no tradicional bairro paulistano do Jabaquara, abrigando em casa os quatro netos que se mudam de suas cidades para tentar a vida em São Paulo.

Mulheres latinas

A cantora Margareth Menezes faz seu discurso de agradecimento ao Lifetime Awards da América Latina. foto: Reprodução.

Também foram escolhidas pelo Lifetime mulheres relevantes em sua área de atuação em outros países da América Latina: Argentina, Colômbia, Chile e México.

Da argentina, a escolha foi pela artista plástica Marta Minujín, de 79 anos; do Chile, foi a goleira de futebol da seleção chilena Christiane Endler.

Na Colômbia, a premiada foi a cientista de missões especiais da NASA, Dra. Adriana Ocampo.

Do México, a escolhida pelo canal foi a cantora e antropóloga de origem indígena Lila Downs, vencedora de seis Grammys Latinos.

De acordo com o Lifetime, o prêmio é destinado a mulheres que conseguiram transcender em diferentes cenários e que, por sua carreira, entram para a história servindo de inspiração para as demais.

Publicidade
Não foi possível carregar anúncio

Deixe o seu comentário

Em Alta

Carregando...

Erro ao carregar conteúdo.

Publicidade
Não foi possível carregar anúncio
Publicidade
Posting....