Compre iPhone SE na Apple a partir de R$ 3.779,10 à vista ou em até 12 vezes. Frete grátis para todo o Brasil
Saiba mais
Publicidade
Não foi possível carregar anúncio
Publicidade
Não foi possível carregar anúncio
VETERANA

Por onde anda a Filó jovem da versão antiga de Pantanal? Atriz teve destaque em O Clone

Tânia Alves fez novelas portuguesas recentemente e está de volta ao Brasil

Publicado em 04/04/2022
Publicidade
Não foi possível carregar anúncio

Pantanal estreou na Globo na última semana trazendo a personagem Filó jovem interpretada pela novata Letícia Salles.

Em 1990, na versão original da novela, quem viveu a prostituta apaixonada por José Leôncio na primeira fase foi Tânia Alves, que obteve grande notoriedade à época.

Continua depois da publicidade
Não foi possível carregar anúncio

Quando houve a fatídica passagem de tempo, de quase 30 anos, Tânia passou o bastão para a veterana Jussara Freire. No remake da Globo, quem viverá Filó mais velha será a atriz Dira Paes.

Muitos daqueles que assistiram Pantanal na Rede Manchete certamente se lembram de Tânia Alves, que deu um show de atuação. Para quem não sabe, apesar de estar sumida na TV brasileira, a artista não parou de atuar e tem novos projetos ainda para este ano.

Tânia Alves foi a Filó da primeira fase de Pantanal em 1990

Relembre a Tânia Alves em O Clone

Na primeira fase da trama de Gloria Perez, a atriz interpretou Norma, uma dançarina de gafieira ambiciosa, que faz parte de núcleo de Deusa (Adriana Lessa)Edvaldo (Roberto Bonfim) e Laurinda (Totia Meireles).

“Fiz uma participação especial, mas foi muito boa. E ainda ganhei de presente da Gloria Perez um videoclipe com uma das cenas que eu canto uma das músicas do disco que eu estava lançando na época, foi bem gostoso”, relembrou Tânia sobre o papel em O Clone, em entrevista ao site de Heloísa Tolipan.

Duas décadas depois, muita gente questiona por onde anda a artista. Lembrando que, logo após O Clone, Tânia Alves fez a novela Essas Mulheres, da Record TV, em 2005. Dois anos depois, ela retornaria à Globo para fazer a série Amazônia, de Galvez a Chico Mendes.

Tania Alves, Roberto Bonfim, Adriana Lessa e Totia Meirelles em O Clone (Reprodução)

Mais para a frente, ela embarcou em outra novela global, Araguaia, em 2010. Já no ano seguinte, a veterana fez as malas e partiu para Portugal, onde pode ingressar na teledramaturgia do país. Por lá a artista marcou presença em cinco produções, entre séries e novelas.

Sua volta à TV brasileira aconteceu em 2017, quando foi convocada para integrar o elenco do Dancing Brasil daquele ano, um reality da Record TV.

Como anda a carreira de Tânia Alves?

Na teledramaturgia do Brasil, porém, Tânia já está há 12 anos sem projetos. Sua ‘reestreia’ acontecerá na série da Netflix Olhar Indiscreto, que tem previsão para entrar no catálogo do streaming ainda este ano.

Em Olhar Indiscreto, Tânia, que tem atualmente 72 anos de idade, trabalha lado a lado com Débora Nascimento, Emanuelle Araújo e a veterana Débora Duarte.

Tânia Alves esteve em O Clone, de 2001, e Pantanal, de 1990

Além disso, ela acabou de passar dois meses em Pernambuco para gravar o filme Senhoritas, e está adaptando o livro “Criogenia de D. ou Manifesto pelos Prazeres Perdidos”, de Leonardo Valente, para o teatro.

Sobre a personagem que interpretará na peça, Tânia afirma ter uma semelhança consigo: “Ela também está no quinto marido”. Ela é casada hoje com Daniel Rodrigues.

Vida de empresária

Além da carreira de atriz, Tânia Alves toca o SPA Maria Bonita no Rio de Janeiro, que existe já há 35 anos. “A idade vai passando, mas nunca me senti tão livre, tão sem medo e amorosa. Continuo cheia de projetos. Ambiciosos em termos de saúde. Confio na força do meu corpo, do meu preparo físico. Tenho também muita gente me assessorando nisso, médicos de ponta, terapeutas. Minha própria rotina e hábitos. Tédio e acomodação? Nunca“, pontuou a atriz na mesma entrevista.

Tânia Alves atualmente

Polêmicas nos bastidores

Em sua trajetória como atriz, Tânia Alves relembrou na entrevista a Heloísa Tolipan, que passou por episódios de preconceito por ser mestiça. “Posso me queixar de racismo, mas isso sou eu e tanta gente, sabe, porque a primeira atriz mestiça protagonista foi Sonia Braga e eu vim em seguida nessa alavanca. A partir do momento que não tinha nenhuma protagonista mestiça na televisão brasileira isso já era racismo“, declarou a artista.

Ela ainda revelou um episódio em específico. “Uma vez fui tirada de um programa humorístico. Ouvi dizer da direção que eu estava aquém do padrão de beleza da TV Globo. Dois anos depois, eu era a Maria Bonita, ganhamos vários prêmios internacionais e foi uma mudança na minha vida. Veja como a vida dá voltas”, revela e completa: “Eu sou mestiça, minha bisavó por parte de mãe veio para o Brasil em um navio negreiro, era escrava. Mesmo assim, meu avô se tornou um brilhante advogado“, afirmou.

Leia outros textos desta colunista.

Publicidade
Não foi possível carregar anúncio

Deixe o seu comentário

Em Alta

Carregando...

Erro ao carregar conteúdo.

Publicidade
Não foi possível carregar anúncio
Publicidade
Posting....