Compre iPhone SE na Apple a partir de R$ 3.779,10 à vista ou em até 12 vezes. Frete grátis para todo o Brasil
Saiba mais
Publicidade
Não foi possível carregar anúncio
Publicidade
Não foi possível carregar anúncio
Curiosidade

Você sabia? Murilo Benício se ofereceu para atuar em O Clone, novela que impulsionou sua carreira

O ator ficou com os papéis de Lucas, Diogo e Léo após desistência de famoso galã

Publicado em 26/04/2022
Publicidade
Não foi possível carregar anúncio

Em 2001, quando O Clone entrou em produção na Globo, a escalação de elenco da novela não se revelou das mais fáceis. Na época, tramas como A Padroeira, às seis, e As Filhas da Mãe, às sete, arrebataram muitas estrelas, dificultando a vida da autora Gloria Perez. Tanto que o nome de Murilo Benício para viver o papel-título não era a primeira opção para a trama.

O primeiro ator cotado para viver os gêmeos Lucas e Diogo, além de Léo, o clone do primeiro, foi Fábio Assunção. Mas o ator declinou do convite. Na época, foi falado que ele considerou a trama confusa e optou por pular fora.

Continua depois da publicidade
Não foi possível carregar anúncio

Neste meio-tempo, Murilo Benício ficou sabendo da novela e se ofereceu para Jayme Monjardim, diretor de núcleo de O Clone. O ator vinha de papéis menores em tramas como Esplendor (2000) e Meu Bem Querer (1999), mas acabou convencendo o diretor de que daria conta.

Mudança de status

Léo (Murilo Benício) em O Clone

A atitude de Murilo Benício acabou se revelando um grande acerto, já que O Clone representou uma guinada em sua carreira. O sucesso da novela catapultou o nome do artista, que passou a ser convocado constantemente para protagonizar novelas e séries na Globo.

Após O Clone, Murilo Benício protagonizou Chocolate com Pimenta (2003), outro sucesso da Globo. Depois, emplacou o Tião, protagonista de América (2005), na qual repetiu a parceria com Gloria Perez. A trama, aliás, acaba de entrar no catálogo do Globoplay.

Mais adiante, vieram mais papéis importantes: Pé na Jaca (2006), A Favorita (2008), Força Tarefa (2009), Ti ti ti (2010), Avenida Brasil (2012), Amores Roubados (2014), Geração Brasil (2014), Nada Será Como Antes (2016), Se Eu Fechar os Olhos Agora (2018), Amor de Mãe (2019) e Pantanal (2022).

Confira outros conteúdos da coluna e do colunista ou entre em contato

Publicidade
Não foi possível carregar anúncio

Deixe o seu comentário

Em Alta

Carregando...

Erro ao carregar conteúdo.

Publicidade
Não foi possível carregar anúncio
Publicidade
Posting....