Mais do que você gosta.
Assine o Star+
Publicidade
Não foi possível carregar anúncio
Publicidade
Não foi possível carregar anúncio
Crítica de TV

Com fim da troca de corpos, Quanto Mais Vida, Melhor! volta a ser a mesma novela de sempre

A troca dos protagonistas deu uma boa chacoalhada na novela

Publicado em 25/04/2022
Publicidade
Não foi possível carregar anúncio

A troca de corpos envolvendo os quatro protagonistas de Quanto Mais Vida, Melhor! foi o grande acontecimento da novela das sete da Globo até aqui. Quando Paula (Giovanna Antonelli) trocou de corpo com Neném (Vladimir Brichta), e Flávia (Valentina Herszage) trocou de corpo com Guilherme (Mateus Solano), a trama de Mauro Wilson sofreu um necessário chacoalhão.

O tom de comédia fantástica de Quanto Mais Vida, Melhor!, presente desde o início por conta da interação dos heróis com a Morte (A Maia) se intensificou a partir daí. A troca de corpos fazia sentido dentro da fantasia proposta pelo autor e tirou os protagonistas do piloto automático, dando à trama um rumo um tanto mais interessante.

Continua depois da publicidade
Não foi possível carregar anúncio

Afinal, ao trocarem de corpos, os quatro protagonistas da trama das sete trocaram de vida. E como todos são muito diferentes entre si, a troca serviu para colocá-los em novas situações, o que gerou algumas transformações interessantes. Até mesmo as relações dos casais Neném & Paula e Flávia & Guilherme evoluiu a partir da mudança.

Na pele de Neném, Paula aprendeu a ser uma mãe melhor, e a olhar com mais humanidade aos sentimentos envolvendo o jogador e Rose (Bárbara Colen). Enquanto isso, na vida de Flávia, Guilherme compreendeu melhor a jovem e se entregou de vez aos sentimentos que os envolve, consolidando uma relação que sempre foi meio truncada.

Boa comédia

Flávia (Valentina Herszage), Guilherme (Mateus Solano), Paula (Giovanna Antonelli) e Neném (Vladimir Brichta) de Quanto Mais Vida, Melhor!

Além disso, a troca de Quanto Mais Vida, Melhor! rendeu ótimos momentos de humor. O texto de Mauro Wilson, que traz uma comédia com tom de crônica, brincou com as diferenças entre homens e mulheres, além de sempre colocá-los em situações inusitadas.

E os atores não decepcionaram, trazendo ótimas performances. Giovanna Antonelli pegou todos os trejeitos de Neném e esteve genial. Vladimir Brichta também não decepcionou e fez uma Paula eficiente. Mateus Solano foi uma Flávia hilária! Valentina Herszage baixou o tom como Guilherme, parecendo realmente outra pessoa. Funcionou.

Mais do mesmo

Infelizmente, o fim da troca de Quanto Mais Vida, Melhor! deve fazer a novela estacionar novamente, e em plena reta final. Os heróis evoluíram em algum sentido, é verdade, mas a trama em si voltará de onde parou.

E isso não é bom, afinal, Quanto Mais Vida, Melhor! estava numa fase ruim antes da troca. A trama é boa, mas tem alguns erros que incomodam, como o excesso de flashbacks e histórias que andam em círculos. Esta sensação de que a trama não sai do lugar deverá voltar com força nos últimos capítulos.

*As informações e opiniões expressas nessa crítica são de total responsabilidade de seu autor e podem ou não refletir a opinião deste veículo.

Confira outros conteúdos da coluna e do colunista ou entre em contato

Publicidade
Não foi possível carregar anúncio

Deixe o seu comentário

Em Alta

Carregando...

Erro ao carregar conteúdo.

Publicidade
Não foi possível carregar anúncio
Publicidade
Posting....