Manoel Carlos: Ator, diretor e cronista do cotidiano nos 70 anos da televisão brasileira

Conhecido como autor de novelas pelos mais jovens, ele está na TV desde seu princípio

Publicado há 4 meses
Por Fábio Costa
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Seu estilo é inconfundível: histórias ambientadas no Rio de Janeiro, especialmente no bairro do Leblon, com casamentos tumultuados, questões sociais a serem discutidas, diálogos sobre a vida e a felicidade, tudo isso em torno de uma mulher chamada Helena.

Claro que estamos falando de Manoel Carlos, um dos mais consagrados autores de novelas da televisão brasileira, que completou 70 anos de atividades no último dia 18. No entanto, o autor de Baila Comigo (1981), Por Amor (1997), Laços de Família (2000) e Mulheres Apaixonadas (2003), entre tantas outras, não é “só” um autor de novelas.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Nascido em São Paulo em 1933, “Maneco” – forma carinhosa que o público também adotou no tratamento ao novelista – está na TV desde seu início. Já em 1951 ele, que na época era ator, começou a se apresentar em teleteatros.

Não tardou para que ele escrevesse originais, adaptasse clássicos da literatura e do teatro universais, apresentasse, produzisse e dirigisse programas variados. Grande Teatro Tupi, Brasil 60, Família Trapo e Fantástico são apenas alguns dos títulos que tiveram Manoel Carlos em lugar de destaque de sua realização.

Mesmo a carreira de Manoel Carlos como autor de novelas não começou na TV Globo, em 1978, com Maria, Maria: já nos anos 1950 ele escreveu algumas histórias, então exibidas duas ou três vezes por semana e ao vivo. Confira o Vale a Pena desta semana sobre Maneco no vídeo!

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio