Recentemente falecido, Cecil Thiré relatou problemas ao dirigir Tônia Carrero, sua mãe, em Sassaricando

Novela dos anos 1980 está em cartaz no Canal Viva, às 14h30 e à 0h45

Publicado há 18 dias
Por Fábio Costa
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

A novela Sassaricando foi ao ar originalmente pela TV Globo no horário das 19h, entre novembro de 1987 e junho de 1988. Escrita por Silvio de Abreu, a produção teve direção de Lucas Bueno, Miguel Falabella e do recentemente falecido Cecil Thiré, este responsável pela direção-geral, e Paulo Afonso Grisolli como diretor-executivo.

Uma das principais personagens da história foi interpretada por Tônia Carrero, mãe de Cecil. Ela era Rebeca Rocha, uma estilista viúva, o grande amor da vida de Aparício Varela (Paulo Autran), que ao ficar também viúvo decide recuperar o tempo perdido e reconquistá-la.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Como durante boa parte da trama um mal-entendido faz com que Rebeca pense que ‘Cicinho’, o namorado da juventude, não passa de um simples faxineiro da Tecelagem Abdala e um homônimo seu – na verdade Ricardo de Pádua (Carlos Zara) – ocupa o cargo, demora até que Aparício e Rebeca se acertem.

Além disso, ele investe contra duas amigas dela, empenhadas na reconstrução de suas vidas, preferencialmente ao lado de milionários. Aparício se mostra com sua face verdadeira para Penélope Bacelar (Eva Wilma), ao passo que para Leonora Lamarr (Irene Ravache) finge ser um inglês cheio da grana, Sir Edward.

O ator e diretor Cecil Thiré (Reprodução)

No livro em que contara sua vida à jornalista Tania Carvalho, Cecil Thiré – Mestre do Seu Ofício (Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, 2009), o diretor-geral de Sassaricando falara sobre a dificuldade enfrentada com a mãe durante as gravações da novela, que o Viva exibe desde setembro às 14h30 – e também à 0h45.

Tônia frequentemente mudava o texto de Silvio de Abreu, com a justificativa de que sua personagem diria determinada coisa de um jeito, e não como o roteiro pedia. Cecil defendia o autor e o respeito ao texto, mas Tônia rebatia dizendo que ele, seu filho, não podia ficar contra ela.

Cecil também conta no livro que com Miguel Falabella sua mãe se dera às mil maravilhas, e com isso ele deixara de dirigir as cenas dela, em nome do bom andamento dos trabalhos. Recentemente, Falabella falara sobre essa sua única experiência como diretor de novelas e não parecem ser boas as lembranças da lida diária com grandes estrelas como Paulo e Tônia.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio