Mais do que você gosta.
Assine o Star+
Publicidade
Não foi possível carregar anúncio
Publicidade
Não foi possível carregar anúncio

Há 30 anos, terminava o humorístico Viva o Gordo

Publicado em 15/12/2017
Publicidade
Não foi possível carregar anúncio

No dia 15 de dezembro de 1987, ia ao ar na Globo a última edição do humorístico Viva o Gordo. Exibida nas noites de segunda-feira, a atração fez história na TV brasileira ao trazer Jô Soares vivendo diversos e antológicos personagens.

Exibido desde 1981, Viva o Gordo fez sucesso com personagens memoráveis. Entre os mais famosos estava o Capitão Gay, um herói afetado que estava sempre na companhia de seu assistente Carlos Suely (Eliezer Motta); o Reizinho, um rei um tanto autoritário, mas pouco inteligente; a ginasta Ciça, que fazia rir com suas divertidas aulas de ginástica; o Zé da Galera, típico palpiteiro de futebol (que usava o bordão “bota ponta, Telê!”); o Pai Coruja, que consagrou a frase “eu queria ter um filho assim!”; a divertida ex-estrela pornô Bo Francineide (que dizia à sua mãe: “e pensar que eu saí de dentro dela!”); entre muitos outros tipos.

Continua depois da publicidade
Não foi possível carregar anúncio

Viva o Gordo seguia o modelo tradicional dos humorísticos das décadas de 1970 e 1980, apostando em personagens populares e bordões. Mas também trazia uma certa dose de ironia e contexto político em seus textos, com muitas críticas implícitas ao governo da época, em plena abertura após a Ditadura Militar. O título Viva o Gordo foi retirado de uma peça de teatro do Jô Soares, Viva o Gordo e Abaixo o Regime, fazendo trocadilho com a palavra regime (no caso, referindo-se também ao Regime Militar).

Viva o Gordo foi um grande sucesso das noites de segunda-feira da Globo, consagrando em definitivo o talento de Jô Soares como humorista. Antes de ganhar seu próprio programa de humor, Jô fez carreira no humor televisivo participando de programas como Quadra de Setes (1966), Faça Humor, Não Faça Guerra (1970), Satiricom (1973) e Planeta dos Homens (1976), entre outros.

Mas o humorístico chegou ao fim em razão da vontade de Jô Soares de ter seu próprio programa de entrevistas. Sem perspectiva de ter este novo espaço na Globo, o humorista atendeu ao chamado de Silvio Santos, que prometeu a ele o tal talk show, e também um novo humorístico, aos moldes do Viva o Gordo. Com um alto salário (considerado o maior da TV brasileira na época), Jô migrou da Globo para o SBT, onde teve seu desejo atendido.

Na nova emissora, Jô Soares levou elenco e colaboradores do Viva o Gordo, lançando o novo Veja o Gordo, que ficou no ar entre 1988 e 1990. E, claro, passou a apresentar o programa de entrevistas que tanto almejava, o Jô Soares Onze e Meia, que ficou no ar entre 1988 e 1999, tornando-se um dos programas mais famosos e de maior prestígio da grade do canal de Silvio Santos. O sucesso do talk show levou Jô de volta à Globo, onde comandou o Programa do Jô entre 2000 e 2016.

Viva o Gordo teve seus esquetes reapresentados dentro do Programa do Jô, no quadro No Fundo da Caneca, por algum tempo. A atração também foi reapresentada no canal Viva em várias ocasiões, e foi lançada em DVD pela GloboMarcas.

Leia também:

Há 19 anos, Record exibia primeira versão de A História de Ester

Veja um episódio de Viva o Gordo:

Publicidade
Não foi possível carregar anúncio

Deixe o seu comentário

Em Alta

Carregando...

Erro ao carregar conteúdo.

Publicidade
Não foi possível carregar anúncio
Publicidade
Posting....