O que esperar de Filhos da Pátria, nova série da Globo

Publicado há 3 anos
Por João Paulo Reis
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Corrupção foi uma das palavras mais pronunciadas nos telejornais brasileiros no ano de 2017. Escândalos políticos, contravenções, propinas, jeitinho brasileiro, nada disso é novidade, nem característica de um mundo moderno capitalista, e é justamente essa a premissa de Filhos da Pátria, que estreia nesta terça (19) na Globo. Escrita por Bruno Mazzeo, a série é uma dramaturgia de primeira qualidade, numa comédia refinada sobre costumes.

Leia também: O maior problema de Os Dias Eram Assim foi sua longa duração

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

O ano é 1822, exatamente em 8 de setembro, um dia após Dom Pedro decretar a independência do Brasil, e o clima entre os moradores do país é de festa e esperança, pois acredita-se que a independência trará maiores possibilidades de crescimento à nação. Geraldo Bulhosa (Alexandre Nero) é o protagonista da história, e pai de família que serve como âncora à ação da série.

Funcionário público responsável por gerir a troca de correspondências entre Brasil e Portugal, ele vê seu emprego ameaçado com a independência do país e aceita as investidas de Pacheco (Matheus Nachtergaele) para a criação de um caixa 2 para desvio de verbas de obras públicas. Mas se engana quem pensa que o personagem é um corrupto em sua forma maniqueísta. Ele se torna corrupto, tem consciência de seu erro, mas continua fazendo por pressão de seus colegas de trabalho e de sua esposa, Maria Teresa (Fernanda Torres), uma mulher decadente que deseja poder financeiro e reconhecimento dos demais burgueses da antiga colônia, principalmente para competir com a irmã que vive jogando em sua cara sua inferioridade.

Sua primeira tentativa de entrar para a alta sociedade é casando sua filha Catarina (Lara Tremouroux) com um fidalgo rico, o que não acontece pela falta de aptidão da moça a valores pré-estabelecidos como corretos para a mulher da época. Como Catarina é questionadora e não aceita que sua existência apenas para criar uma família, Maria Teresa tem divertidos momentos tentando ascender socialmente de outras formas.

Também neste núcleo familiar está Geraldinho (Johnny Massaro), o filho desocupado e sem propósito da família Bulhosa. O jovem deseja apenas impressionar as mulheres da corte mesmo que não saiba ler nem escrever.  A série traz ainda Lucélia (Jéssica Ellen), a esperta escrava que junta dinheiro para comprar sua liberdade, e Domingos (Serjão Loroza), o escravo que faz corpo mole, pois não aceita sua condição de escravo. Com humor leve e sátiras ao cotidiano, a comédia propõe uma reflexão um tanto dolorosa, sobre como evoluímos tão pouco como país em quase 200 anos de independência. O elenco afiado e talentoso reforça o texto do autor que propõe na família Bulhosa, os predecessores dos principais tipos brasileiros. A série conta com 12 episódios já disponíveis na plataforma de streaming Globo Play, e será exibida todas as terças-feiras.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio