In Memoriam

100 anos de Tônia Carrero: beleza e talento para as novas gerações conhecerem

Atriz esteve em poucas novelas, mas marcou a teledramaturgia brasileira

Publicado em 23/08/2022

No final dos anos 1940, uma nova estrela despontava nos palcos teatrais e salas de cinema do Brasil: Tônia Carrero. Figura de destaque da época áurea da Vera Cruz e do Teatro Brasileiro de Comédia, além de ter participado da televisão já em seus anos iniciais, a atriz iniciava uma carreira de seis décadas.

Maria Antonieta de Farias Portocarrero nasceu no Rio de Janeiro em 23 de agosto de 1922, filha do militar Hermenegildo Portocarrero, que sempre a incentivara na paixão pela arte, especialmente pelo teatro. Jayme Costa e Procópio Ferreira, atores de sucesso, constavam das relações do pai de Tônia, que se formara em Educação Física, mas queria mesmo era ser estrela de cinema.

Rebeca (Tônia Carrero) em Sassaricando
Rebeca Tônia Carrero em Sassaricando ReproduçãoCanal Viva

E fora uma das grandes num período especial da produção cinematográfica brasileira, quando se quis fazer aqui uma espécie de Hollywood tupiniquim com a Vera Cruz. Na companhia, Tônia estrelou Tico-tico no Fubá e Appassionata, após a estreia como uma das colegiais de Querida Suzana, da Cinematográfica São Luiz, em 1947.

Entre as dezenas de peças que Tônia fez, boa parte ao lado de Paulo Autran, destacam-se Um Deus Dormiu Lá Em Casa, Uma Mulher do Outro Mundo, Otelo, Entre Quatro Paredes, Macbeth, Quem Tem Medo de Virginia Woolf?, Seis Personagens à Procura de Um Autor, A Divina Sarah e O Jardim das Cerejeiras, entre outras.

Na televisão, a atriz marcou presença em poucas novelas, nas TVs Rio, Excelsior, Globo, Manchete e SBT, no decorrer de cerca de 40 anos. Algumas das principais foram Sangue do Meu Sangue, Pigmalião 70, Água Viva, Sassaricando, Kananga do Japão e Esplendor. Tônia faleceu aos 95 anos, em 3 de março de 2018. Confira o vídeo!

© 2024 Observatório da TV | Powered by Grupo Observatório
Site parceiro UOL
Publicidade