Mais do que você gosta.
Assine o Star+
Publicidade
Não foi possível carregar anúncio
Publicidade
Não foi possível carregar anúncio
História da TV

Em 1997, SBT tentou emplacar novela mexicana semanal nas tardes de sábado

Na Própria Carne era um dramalhão policial protagonizado por Edith Gonzáles

Publicado em 20/03/2022
Publicidade
Não foi possível carregar anúncio

Na década de 1990, sem tradição em programas de auditório aos sábados, o SBT tentou de tudo para preencher este horário. Além de filmes, seriados e do Novo Show de Calouros, o canal de Silvio Santos também tentou emplacar uma novela mexicana semanal na faixa. Em 1997, o SBT lançou Na Própria Carne, dramalhão da Televisa, numa espécie de maratona de capítulos exibida nas tardes de sábado.

Na Própria Carne estreou no dia 15 de março de 1997. Nas chamadas, a locução enfatizava: “estreia Na Própria Carne, a novela que o SBT exibirá somente aos sábados”. A trama, cujo nome original era En Carne Propia, era produzida por Carlos Téllez para a Televisa e exibida originalmente no Las Estrellas entre 3 de dezembro de 1990 e 16 de agosto de 1991.

Continua depois da publicidade
Não foi possível carregar anúncio

No elenco, nomes como Edith González, Eduardo Yáñez, Gonzalo Vega, Angélica Aragón, Sebastián Ligarde, Alejandro Tommasi, Patricia Reyes Spíndola e Juan Peláez.

A novela era uma trama policial extremamente sombria, que pouco combinava com as ensolaradas tardes de sábado. Na Própria Carne narra o sofrimento de Magdalena Dumont (Angélica Aragón), que teve sua filha sequestrada anos atrás. Quando seu marido ia pagar o resgate, os bandidos fogem com a garota num avião, que acaba explodindo.

Com este drama, Magdalena se torna uma alcoólatra amargurada. Ela, então, contrata o detetive Leonardo Rivandeira (Eduardo Yáñes) na intenção de descobrir o que aconteceu com sua filha antes da morte. Assim, ela descobre que, na verdade, sua filha Estefania (Edith Gonzáles) está viva, reside no Canadá e trabalha como professora de crianças cegas, já que ela também não enxerga. Magdalena também descobre que o responsável pelo sequestro dela foi nada menos que seu marido, Octavio Muriel (Gonzalo Vega).

No entanto, a alegria de Magdalena dura pouco. Ao saber que foi descoberto, Octavio mata Magdalena numa festa em sua própria casa. Mas a ricaça deixa um testamento, no qual pede que suas córneas sejam doadas à filha para que ela recupere sua visão. Enquanto isso, Alfonso Dumont (Raúl Meraz), pai de Magdalena, contrata o mesmo detetive Leonardo para investigar a morte da filha. No decorrer da trama, Leonardo e Estefania se envolvem e lutam contra as vilanias de Octavio.

Na Própria Carne foi exibida nas tardes de sábado do SBT entre 15 de março e 3 de maio de 1997, em enormes capítulos com mais de três horas de duração. Assim, o canal transformou os 185 capítulos originais da novela em oito. Após seu término, o SBT desistiu de exibir novelas semanais nas tardes de sábado, e Na Própria Carne não teve substituta.

Ideia antiga

A inusitada ideia do SBT de exibir novelas semanais aos sábados não era nova. No ano anterior, a emissora cogitou estratégia semelhante, e quase lançou Maria Mercedes, clássico estrelado por Thalía, na sua programação de sábado.

No dia 6 de maio de 1996, a Folha de S. Paulo publicou uma longa matéria sobre as novas novelas do SBT, que lançava três tramas nacionais no mesmo dia. O canal estreava Colégio Brasil às 18h30; Antonio Alves, Taxista, às 20h; e Razão de Viver, às 21h. Na mesma matéria, assinada por Mariana Scalzo, a Folha de S. Paulo informava que o SBT estrearia também a mexicana Maria Mercedes no sábado seguinte, 11 de maio de 1996.

A matéria não é clara sobre a exibição de Maria Mercedes, fazendo apenas uma pequena citação. Ou seja, não se sabe qual o horário e quantos capítulos o SBT tinha a intenção de exibir da trama aos sábados. Fato é que isso não aconteceu. No sábado em questão, a emissora promoveu uma maratona dos primeiros capítulos de Colégio Brasil, Antonio Alves, Taxista e Razão de Viver. Já no sábado seguinte, 18 de maio, a programação do SBT divulgada pelo jornal era a seguinte: filme às 13h; a série Dra. Quinn – A Mulher que Cura, às 14h40; e Show de Calouros às 15h30.

Ou seja, pode ter havido a intenção de exibir Maria Mercedes aos sábados, mas isso não aconteceu. A trama só estreou na programação do SBT em 12 de agosto de 1996, na programação diária, substituindo Antonio Alves, Taxista.

Confira outros conteúdos da coluna e do colunista ou entre em contato

Publicidade
Não foi possível carregar anúncio

Deixe o seu comentário

Em Alta

Carregando...

Erro ao carregar conteúdo.

Publicidade
Não foi possível carregar anúncio
Publicidade
Posting....