Saudades

Nicete Bruno, Eva Wilma, Paulo José e Tarcísio Meira: Estamos órfãos dos nossos ídolos

Perdemos grandes nomes da dramaturgia nos últimos tempos

Publicado em 13/08/2021

Nos últimos tempos, em menos de um ano, perdemos nossos grandes ídolos da TV: Nicete Bruno, Eva Wilma, Paulo José, Tarcísio Meira e muitos outros. Foram considerados artistas de primeira grandeza e são insubstituíveis, a dramaturgia brasileira nunca mais vai ser a mesma.

Artistas que fizeram parte de nossas vidas, por muito tempo entraram em nossas casas, nos divertiram, emocionaram, através de histórias que pararam o Brasil e vão fazer falta. Atores que foram consagrados pelo seu talento e não por polêmicas em redes sociais, nunca deixaram suas vidas pessoas aparecerem mais do que seu trabalho, a arte falava mais alto e o talento aparecia mais do que a vida pessoal, exemplos que devem ser seguidos pelos mais jovens.

Nossa dramaturgia está ficando cada vez mais pobre, já que nomes como esses vão fazer falta e deixar saudades, são verdadeiras joias raras e talentos preciosos que talvez nunca apareçam outros semelhantes. Perder artistas dessa grandeza é como se perdêssemos alguém da nossa família, pessoas que estavam todos os dias em nossas casas, mesmo sendo através da telinha.

O que consola, ou pelo menos tenta, é saber que mesmo em produções reprisadas poderemos vê-los novamente, apreciar o talento de cada um e termos a chance de matarmos a saudade.

Nicete Bruno era tão cativante com suas personagens que tínhamos como uma avó. Tarcísio Meira mostrava toda sua versatilidade em interpretar os mais variados personagens, de galã, herói até o vilão sem escrúpulos. Eva Wilma era a cereja do bolo nas novelas que participava, um verdadeiro show de interpretação e recebeu personagens à altura do seu potencial, foram muitas: As gêmeas Ruth e Raquel da primeira versão de Mulheres de Areia, Diná de A Viagem e a malvada Altiva de A Indomada e tantas outras.

Para o público fã de dramaturgia o golpe foi grande, perder grandes talentos em pouquíssimo tempo é difícil de superar, que eles possam brilhar lá no céu e reencontrar outras estrelas da dramaturgia.

© 2024 Observatório da TV | Powered by Grupo Observatório
Site parceiro UOL
Publicidade