Reprise de O Que a Vida me Roubou tem média geral inferior a de antecessoras

Angelique Boyer é a protagonista do folhetim

Publicado há 2 meses
Por Felipe Brandão
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

A reprise de O Que a Vida me Roubou foi, em termos de audiência, uma faca de dois gumes para o SBT. Se por um lado levantou o Ibope vespertino da emissora, garantindo várias vitórias sobre a Record TV, por outro fez cair ainda mais os índices herdados de suas antecessora.

A novela mexicana protagonizada por Angelique Boyer e Sebastián Rulli encerrou sua segunda exibição com média geral de 6,2 pontos. É menos do que atingiram os dois últimos folhetins da faixa, a também reprisada Meu Coração é Teu (6,4) e a inédita A Que Não Podia Amar (6,8).

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

A adaptação da obra de Caridad Bravo Adams havia se saído ligeiramente melhor durante sua exibição original, entre janeiro e setembro de 2017, quando acumulou média de 6,8 pontos.

No comparativo com o histórico completo de seu horário, a reapresentação de O Que a Vida me Roubou fica abaixo também da segunda entrega de Coração Indomável (7,8), mas supera todos os demais títulos antecedentes. A saber: Teresa (5,9), Que Pobres Tão Ricos (5,8), Sortilégio (5,9), No Limite da Paixão (5,4), Rubi (6) e A Usurpadora (5,3).

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio