Os pais não queriam de início, mas Christiane Torloni conseguiu trilhar o caminho dos palcos

Atriz protagonizou A Viagem e Mulheres Apaixonadas, dois cartazes atuais do Canal Viva

Publicado há 24 dias
Por Fábio Costa
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Filha dos atores Monah Delacy e Geraldo Matheus, Christiane Torloni poderia ter sido muitas outras coisas que não a atriz que se tornara. No que dependesse deles, inclusive, ela não seguiria a carreira artística. Chegou-se a pensar em atividades como a oceanografia ou a sociologia.

Para além do talento herdado, ela crescera pelas coxias de teatro e televisão, ambientes que frequentava por causa das atividades dos pais. Em algum momento a mosca do palco a picaria, e isso aconteceu.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Nascida em 1957, em 1975 Christiane Torloni estreara na televisão num pequeno papel em Indulto de Natal, unitário do ciclo Caso Especial, da TV Globo. E há 45 anos tem sua carreira ligada à emissora, com uma breve interrupção nos anos 1980 com uma passagem pela extinta Rede Manchete.

A primeira de dezenas de novelas foi Duas Vidas (1976/77), de Janete Clair. Na terceira, Christiane já protagonizava: Gina (1978), de Rubens Ewald Filho, baseada na obra de Maria José Dupré. Até uma nova protagonista – a Jô Penteado de A Gata Comeu (1985), de Ivani Ribeiro -, algumas coadjuvantes de destaque.

De meados dos anos 1980 em diante a aura de protagonista apenas se reforçara: Selva de Pedra (1986), Kananga do Japão (1989), Araponga (1990/91), A Viagem (1994) – de volta agora no Canal Viva -, Um Anjo Caiu do Céu (2001), Mulheres Apaixonadas (2003), América (2005), Caminho das Índias (2009), Velho Chico (2016).

O Vale a Pena do Observatório da TV rememora a carreira desta que é uma das atrizes com a legião de fãs mais fiel e apaixonada das redes sociais e que tais. Confira o vídeo!

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio