Numa era pré-Globoplay, como o noveleiro reencontrava suas histórias preferidas de forma oficial?

Nos anos 1980, minisséries já chegavam ao público para consumo doméstico em fitas de vídeo

Publicado há um mês
Por Fábio Costa
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Num mundo no qual o Globoplay está oferecendo um arquivo das novelas em exibição e resgatando clássicos da TV Globo e ainda há o YouTube para exibição “pirata” de capítulos, já há toda uma geração que nem imagina como se fazia antes para ter acesso a alguma história marcante sem ter que esperar por uma reprise que talvez jamais viesse a ocorrer.

Na última década, os lançamentos de compactos de novelas em DVD movimentaram o público noveleiro, que torceu para que esta ou aquela história fosse lançada como já torcia para que houvesse uma reprise. Entre 2010 e 2017, 20 folhetins foram lançados em DVD pela Globo Marcas, tendo sido o primeiro deles Roque Santeiro, em 16 discos.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Anteriormente, até pela sua duração bem menor do que a das novelas, as minisséries foram agraciadas com o lançamento de compactos em VHS, isso desde os anos 1980. Lampião e Maria Bonita (1982) e Bandidos da Falange (1983) foram algumas das primeiras minisséries brasileiras – e também das primeiras lançadas para consumo doméstico via Globo Vídeo.

Também houve alguns especiais disponibilizados em fita, como no caso do premiado Morte e Vida Severina, de 1981. A Manchete Vídeo concorreu diretamente com lançamentos de dramaturgia, documentários e filmes. Saiba mais nas Curiosidades da TV do Observatório da TV desta semana. Confira o vídeo!

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio