Intérprete de uma das Irmãs Cajazeira em O Bem-Amado, Dorinha Duval ficou marcada por fato triste

Atriz de sucessos como Selva de Pedra e Irmãos Coragem envolveu-se em crime passional nos anos 1980

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Para deleite de noveleiros juramentados e praticantes, como diria seu protagonista Odorico Paraguaçu (Paulo Gracindo), a novela O Bem-Amado (1973) está desde esta segunda-feira (15) no catálogo do Globoplay, plataforma de streaming da Globo.

Em meio à galeria de tipos inesquecíveis da história criada por Dias Gomes, três solteironas se destacam: Dorotéa (Ida Gomes), Dulcinéa (Dorinha Duval) e Judicéa (Dirce Migliaccio). Elas são as Irmãs Cajazeira, as mais ardorosas correligionárias de Odorico, por quem são apaixonadas.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Dirce Migliaccio, ida Gomes, Paulo Gracindo e Dorinha Duval na novela O Bem-Amado (Divulgação / Globo)

Ida Gomes e Dirce Migliaccio já são falecidas – elas nos deixaram coincidentemente no mesmo ano, 2009. Dorinha Duval ainda vive, mas não atua desde 1980. Depois de fazer novelas como Irmãos Coragem (1970/71), Selva de Pedra (1972/73), O Espigão (1974) e Sinal de Alerta (1978/79), a atriz passara por um momento sério que mudara sua vida para sempre.

Ao desferir três tiros contra seu então marido Paulo Sérgio Alcântara, publicitário de 35 anos, Dorinha acabou presa, condenada e cumprira cerca de seis anos da pena em regime semiaberto. O Por Onde Anda? do Observatório da TV fala sobre a atriz nesta semana. Confira o vídeo!

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio