Há 30 anos, a TV Globo apostava em fórmula de sucesso com Pedra Sobre Pedra

Novela teve a missão de recuperar o horário depois dos problemas de O Dono do Mundo

Publicado em 06/01/2022 01:06
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

No decorrer de 1991, a TV Globo exibiu uma novela que se tornou menos tachada negativamente com o tempo, mas foi tumultuada: O Dono do Mundo, de Gilberto Braga. Parte do público não recebeu bem a história, que partia da conquista da virgindade de Márcia (Malu Mader) pelo crápula Felipe (Antonio Fagundes), em plena lua de mel da jovem com Walter (Tadeu Aguiar), funcionário do vilão.

Para recuperar a faixa, a emissora planejou para suceder O Dono do Mundo uma novela com elementos de sucesso comprovado em atrações anteriores, como O Bem-amado (1973) e Roque Santeiro (1985), ambas de Dias Gomes, e Tieta (1989), de Aguinaldo Silva, Ana Maria Moretzsohn e Ricardo Linhares – os mesmos autores que se reuniram para criar Pedra Sobre Pedra, além do que Aguinaldo havia escrito Roque Santeiro também.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Uma cidade do interior usada como microcosmo dos problemas do País, ao mesmo tempo em que sedia fatos estarrecedores vividos por personagens carismáticos vividos por um elenco estelar, um enredo movimentado e que mescla humor, política, romance, algum erotismo e vilanias. Não havia como dar errado, após experiências de êxito nos anos anteriores. Pedra Sobre Pedra estreou na faixa nobre da TV Globo em 6 de janeiro de 1992.

A rixa entre os Pontes e os Batista

Hilda (Eva Wilma), Murilo (Lima Duarte) e Pilar (Renata Sorrah) em Pedra Sobre Pedra (Divulgação)

Havia muitos anos que, na pequena cidade baiana de Resplendor, localizada na Chapada Diamantina, duas famílias disputavam a liderança política: os Pontes e os Batista. Cerca de 20 anos atrás, Murilo Pontes (Nelson Baskerville) e Pilar (Cláudia Scher) eram muito apaixonados um pelo outro. Mas uma intriga de Cândido Alegria (Farinelli Júnior) faz com que o casal rompa em pleno altar, no dia de seu casamento.

Ao acreditar que o filho de sua melhor amiga Eliane (Luciana Braga) é de Murilo, Pilar se vinga casando-se com Jerônimo Batista (Felipe Camargo), com quem tem uma filha. Além disso, ela cria a filha da amiga, a quem dá o mesmo nome dela.

Muito magoado, Murilo acaba se unindo a Hilda (Andréa Murucci), uma das empregadas dos Pontes, apaixonada por ele. Pouco depois do casamento, ele deixa Resplendor e vai para o Distrito Federal, de onde regressa na fase “atual” da novela. Com Hilda, Murilo tem um filho. Sem jamais ter amado a esposa, com o tempo Murilo passou a chamá-la de “Hilda, minha filha”.

Depois de mais de 20 anos, Murilo (Lima Duarte) regressa a Resplendor, o que representa uma ameaça às intenções de Pilar (Renata Sorrah), uma Batista mais aguerrida do que se fosse membro da família pela força do sangue. Eles se odeiam tanto, que na verdade o que lutam para controlar é o forte amor que ainda sentem um pelo outro.

Amor esse que revive através de seus filhos Leonardo Pontes (Maurício Mattar) e Marina Batista (Adriana Esteves). Criados longe de Resplendor e da rixa das famílias, os dois se apaixonam assim que se conhecem, na viagem para a cidade, e enfrentam muitos obstáculos para poderem ser felizes juntos.

Jorge Tadeu, o “retratista”

Fabio Junior em Pedra Sobre Pedra (Divulgação/TV Globo)

Além da rixa de Murilo e Pilar, do amor que haviam vivido e que renascia com seus filhos, Pedra Sobre Pedra apresentou diversos acontecimentos fantásticos, que abalavam o dia a dia da pequena Resplendor, além das muitas maldades do ambicioso e odioso Cândido Alegria (Armando Bogus) e de Eliane (Carla Marins), que era filha dele e não de Murilo como se acreditou por tanto tempo.

Forasteiro, o conquistador Jorge Tadeu (Fábio Jr.) está na cidade oferecendo seus préstimos de fotógrafo, sem se abrir muito sobre de onde vem e o que pretende.

O galã conquista cinco mulheres da cidade antes de ser misteriosamente assassinado. No entanto, sua morte não representa seu sumiço: a mulher que comesse da flor surgida da árvore “regada” pelo retratista com sua urina o reencontrava por uma noite. Ao final, a revelação: quem matou Jorge Tadeu não foi nenhuma das mulheres, quem sabe por ciúme, tampouco um dos maridos traídos, mas Gioconda Pontes (Eloísa Mafalda).

Eloísa Mafalda como a Gioconda Pontes de Pedra Sobre Pedra (Divulgação)

Irmã de Murilo e mãe do pusilânime Ivonaldo (Marco Nanini) e da “desmiolada” Úrsula (Andréa Beltrão), uma das conquistas do fotógrafo, Gioconda o matou porque foi descoberta em seu crime de roubar peças sacras raras da igreja local e substituí-las por réplicas. Terminou a novela louca (ou fingindo sê-lo), num sanatório.

Além de Úrsula, Jorge Tadeu viveu tórridos momentos com Rosemary (Elizângela), mulher de Ivonaldo; Francisquinha (Arlete Salles), que fazia as vezes de delegada de Resplendor em lugar de seu supostamente doente marido Queiroz (Nelson Xavier); Suzana (Isadora Ribeiro), viúva de marido vivo, já que era casada com um homem muito mais velho à beira da morte; e Ximena (Nívea Maria), a esposa portuguesa do atual prefeito, o dentista Kleber Vilares (Cecil Thiré).

Jorge Tadeu (Fábio Jr.) com Úrsula (Andréa Beltrão), Ximena (Nívea Maria), Rosemary (Elizângela), Francisquinha (Arlete Salles) e Suzana (Isadora Ribeiro), em Pedra Sobre Pedra (Divulgação)

Quer relembrar mais personagens e acontecimentos de Pedra Sobre Pedra? Celebre os 30 anos da estreia da novela assistindo ao TBT da TV do Observatório da TV. Confira o vídeo!

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Deixe o seu comentário

Em Alta

Carregando...

Erro ao carregar conteúdo.

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio