Há 20 anos, Globo ousava na faixa das 19h com As Filhas da Mãe

Projeto foi definido pelo autor Silvio de Abreu como "cordel-sulista-paulistano", e acabou incompreendido

Publicado em 27/8/2021
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

O TBT da TV do Observatório da TV relembra nesta semana a incompreendida novela As Filhas da Mãe, de Silvio de Abreu. O título completo era A Incrível Batalha das Filhas da Mãe no Jardim do Éden, e com esse trabalho o autor voltava à faixa que o consagrou, depois de um afastamento de oito anos, desde o fim de Deus nos Acuda em março de 1993.

Ao contrário do comum no processo de desenvolvimento de uma novela, quando a partir da história que é criada o elenco adequado é escolhido, em As Filhas da Mãe o autor primeiro convidou um determinado grupo de atores com os quais desejava trabalhar, para depois definir a história que contaria e que personagens daria a cada um deles.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Fernanda Montenegro era Lulu de Luxemburgo, premiada diretora de arte do cinema hollywoodiano que escondia sua verdadeira história: décadas antes, ela foi obrigada a deixar os filhos e o Brasil pelo próprio marido, Fausto Cavalcante (Francisco Cuoco).

O desaparecimento de Fausto dá a Lulu a coragem de que precisava para retornar ao País e retomar os laços com Alessandra (Bete Coelho), Tatiana (Andréa Beltrão) e Ramon, o mais difícil de encontrar dos três filhos. Ele mudou de sexo e agora é Ramona (Cláudia Raia). Também retorna depois do sumiço do pai.

A partir desse reencontro familiar, para o qual Lulu precisa se preparar, e da disputa pela herança de um patriarca que nem se sabe ainda onde foi parar, a trama evolui, com os tipos diretamente envolvidos com as filhas da mãe, como Arthur (Raul Cortez), Manolo (Tony Ramos), Rosalva (Regina Casé), Adriano (Thiago Lacerda) e Leonardo (Alexandre Borges), entre muitos outros.

Pelo ritmo desejado, pela mescla dos personagens criados e pelos raps que se desejou ter interligando as cenas e contextualizando o espectador, a novela foi definida por Silvio como um “cordel-sulista-paulistano”. Quer mergulhar mais nessa viagem a 2001? Confira o vídeo!

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Em Alta

Carregando...

Erro ao carregar conteúdo.

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio