Com peixe trans e Daniel de Oliveira, Discovery estreia Planeta Azul

Publicado há 3 anos
Por Fernando Berenguel
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Nesta segunda-feira, dia 16 o Discovery Channel realizou em São Paulo a coletiva de imprensa de lançamento da segunda temporada de Planeta Azul. A série internacional produzida pela BBC foi vencedora de dois Emmys e contou com a dublagem do ator Daniel de Oliveira. A megaprodução trabalhou com um preciosismo raro para os padrões da televisão brasileira: a série documental registrou imagens riquíssimas de paisagens naturais de 39 países e foi resultado de anos em captação de imagens. O primeiro episódio que estreará no próximo domingo dia 22 de abril, dia da Terra, conta cerca de dez histórias envolvendo animais em ecossistemas marinhos e um dos destaques fica por conta de um “peixe trans”: uma espécie de peixe cujas as fêmeas transicionam e se transformam em machos.

Ressaltando que a linguagem documental realmente exige um maior tempo de produção, Mônica Pimentel, a vice-presidente de conteúdo da Discovery no Brasil fez uma comparação interessante ao pontuar que frequentemente o ritmo industrial de produção televisiva “demora quatro horas” enquanto Planeta Azul demorou quatro anos para registrar todas suas paisagens.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

“Normalmente os documentários de história natural eles levam mais tempo. Não tem como você conseguir uma qualidade tão extraordinária como essa série tem se você fizer num ritmo mais acelerado. A história natural é um dos pilares fortes do canal e faz parte do nosso objetivo apresentar conteúdo de alta qualidade que entretém e que informa então esta série ela casa totalmente com os princípios do canal”.

Leia também: Grupo Fox lança sua própria Netflix no Brasil; veja detalhes

O ator Daniel de Oliveira, experiente em dublagens por ter feito parte do elenco de vozes das animações Happy Feet e Galinho Chicken Little, contou que acredita que o planeta tenha perdido oportunidades quando o assunto é a responsabilidade ecológica do humanidade. “Planetariamente falando a gente perdeu uma oportunidade de ter o Al Gore lá na época e entrou o Bush e agora tem o Trump, e eles estão pouco se lixando para o planeta”. O artista também comentou qual personagem e qual história mais despertou sua curiosidade: “A que mais me surpreendeu foi a do peixe que muda de sexo porque é impressionante, de repente a cabeça não sei o quê, o maxilar não sei o que, então foi a mais diferente, foi a que eu mais fiquei com ela na cabeça”.

O biólogo João Paulo Krajewski conhecido do público por participações no Domingão do Faustão, participou dos 30 dias da etapa brasileira de gravações de Planeta Azul que foi filmada em Fernando de Noronha e contou que todo este processo foi pensado para produzir uma única história. O especialista ressaltou a importância da de preservação dos ecossistemas marinhos brasileiros especialmente neste ano eleitoral:

“O Brasil tem uma costa gigantesca com mais de sete mil quilômetros. E uma coisa que pouca gente sabe é que cerca de 30% das espécies de peixes marinhos do Brasil elas só vivem aqui. Muitos peixes que a gente vê mergulhando aqui na costa brasileira e eles não vivem em nenhum outro lugar então se a gente não proteger essa riqueza, ninguém mais vai proteger. Todos os episódios vão contar um pouco dos problemas que o ser humano vem causando e da necessidade de preservar. Esperamos que no futuro um documentário como esse sensibilize todo mundo, quem vai votar e quem vai estar lá tomando decisões”.

VEJA MAIS ENTREVISTAS NO TV OBSERVATÓRIO

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio