Clássico da dramaturgia, O Direito de Nascer teve versão exibida pelo SBT há 20 anos

Emissora de Silvio Santos guardou a novela na gaveta entre 1997 e 2001

Publicado em 4/6/2021
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Em 2001, o SBT finalmente exibiu uma nova versão de O Direito de Nascer, escrita por Aziz Bajur e Jayme Camargo com a colaboração de Alcione Carvalho e supervisão de texto de Crayton Sarzy a partir do original radiofônico do cubano Félix B. Caignet.

“Finalmente” porque esta versão, a terceira produzida no Brasil no formato de telenovela, foi gravada em 1997 pela JPO Produções – e exibida apenas em 2001 pelo SBT. As anteriores foram exibidas pela TV Tupi, respectivamente em 1964/65 e em 1978/79.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

A história se passa nas primeiras três décadas do século 20 em Cuba, e tem como protagonista Maria Helena de Juncal (Guilhermina Guinle), filha do poderoso e temido Dom Rafael (Luiz Guilherme) que é iludida com promessas de casamento pelo namorado, Alfredo Martins (Fernando Eiras), com quem perdeu sua virgindade e de quem engravidou.

Alfredo é filho do sócio de Dom Rafael, Dom Ramiro (Renato Borghi), que em plena festa de réveillon é desmascarado como ladrão dos estoques de café da própria empresa, que desviava para os Estados Unidos e com isso lucrava sozinho.

A rejeição da parte do homem amado, o impedimento para o casamento e a total aversão de Dom Rafael à ideia de ser avô de um neto bastardo serão apenas o começo do sofrimento de Maria Helena, que é obrigada a ir para uma fazenda da família acompanhada de Dolores (Dhu Moraes), a boa “mãe preta” que a criara e que toma uma atitude extrema.

Ao descobrir que Dom Rafael mandou seu capataz Bruno (Paulo Ivo) dar fim à criança tão logo nasça, Dolores foge com o bebê, um menino, para livrá-lo de tão triste destino. Esse ato desencadeia um novo sofrimento para Maria Helena, que além de tudo pensa que sua querida Mamãe Dolores desferiu-lhe um duro golpe por maldade, sem saber da real motivação da criada.

Os anos vão passando e, enquanto Dolores pula de vilarejo em vilarejo criando como filho o pequeno Albertinho (Kaíto Ribeiro), Maria Helena inicia uma vida reclusa como freira, na qual adota o nome de Irmã Helena da Caridade, após recusar pedidos de casamento de um pressionado Alfredo e de Jorge Luiz de Monteverde (João Vitti), banqueiro que passa a vida apaixonado por ela, embora se case com Emília (Cynthia Benini).

28 anos depois da primeira fase, Alberto (Jorge Pontual) é homem feito e médico formado, e se apaixona pela prima Isabel Cristina (Ana Cecília Costa) sem conhecer esse parentesco. Já dizia o tema de abertura de uma antiga novela do mesmo SBT que “A justiça de Deus não falha”, e temos em O Direito de Nascer mais uma mostra disso: o avô malvado tem sua vida salva pelo neto que quis matar, hoje médico.

O TBT da TV do Observatório da TV relembra a novela que, se não repetiu o furor do rádio e da primeira adaptação para a telinha, afirmou uma vez mais que existe espaço e público para histórias mais tradicionalmente folhetinescas. Confira o vídeo!

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio