“Ser único negro em um lugar é pesado e de uma responsabilidade enorme”, afirma Nayara de Deus sobre pioneiros no telejornalismo brasileiro 

Publicidade

A jornalista Nayara de Deus segue apostando em criação de conteúdo para internet através de suas redes sociais e seu canal no Youtube, sempre debatendo assuntos relevantes da sociedade e da vida cotidiana. Em entrevista ao Observatório da Televisão a jornalista faz uma breve análise do mercado jornalístico para os negros, referências na profissão e representatividade. 

Veja também: Vincenzo Richy fala sobre o sucesso em As Aventuras de Poliana e afirma: “Eu quero incentivar o sonho nas pessoas”

Recentemente a Rede TV! foi notícia no país inteiro ao escalar dois jornalistas negros para apresentar o RedeTV News. Da mesma forma Joyce Ribeiro foi o grande destaque durante as eleições. Ela se tornou a primeira jornalista negra mediar um debate político.

Continua depois da publicidade

“Precisa melhorar muito!”

Ao ser peguntada sobre esses dois fatos inéditos na televisão, Nayara de Deus afirma que isso só tem acontecido porque estamos vivendo um momento de mudança de consciência. “Apesar de estar tudo muito maluco, as pessoas estão falando mais sobre algumas coisas. Eu acredito que se não fosse isso, não teríamos nem um representante alí.”

O Negro único 

“Está na hora de acabar com esse preconceito. Ser o único preto em um lugar, ser o único preto que apresenta um telejornal é muito pesado e de responsabilidade enorme. Eu acho que nem de perto estamos perto daquilo que precisaria ser. É preciso de mais representatividade em todos os lugares de trabalho e principalmente nas midiáticas. Cada um que está ali tem todo o meu respeito e cumpre com um papel muito importante, mas precisa melhorar muito!” 

Referências 

“Minhas referências são algumas figuras femininas que dialogam muito legal com o povo, como a Ana Paula Padrão. Eu admiro o trabalho e o talento da Joyce Ribeiro também. Acho que ela tem um jeito mais tímido, mas ela cumpre bem um papel importantíssimo.”

Publicidade
© 2021 Observatório da TV | Powered by Grupo Observatório
Site parceiro UOL
Publicidade