Compre iPhone SE na Apple a partir de R$ 3.779,10 à vista ou em até 12 vezes. Frete grátis para todo o Brasil
Saiba mais
Publicidade
Não foi possível carregar anúncio
Publicidade
Não foi possível carregar anúncio
REJEIÇÃO

Tom Cruise vetou criação de série spin-off de Missão: Impossível

Projeto seria um retorno às origens da franquia, que começou na TV nos anos 1960

Publicado em 24/03/2022
Publicidade
Não foi possível carregar anúncio

Atualmente, quando se fala da franquia Missão: Impossível logo surge o nome de Tom Cruise, protagonista dos filmes desde 1996; são seis longas concluídos e dois em produção. O site The Hollywood Reporter, em reportagem minuciosa, mostrou o quanto o ator é exageradamente zeloso com a trama, a ponto de ter voz suficiente para vetar a ideia da Paramount de fazer uma série spin-off.

A investigação da THR apresenta as exigências mais estapafúrdias e taxativas de Tom Cruise em relação aos filmes Missão: Impossível, pedidos que deixam os executivos da Paramount, dona da franquia, de cabelo em pé. Mas ele é um astro, então acatar acaba sendo razoável. Mesmo que isso custe o futuro da marca.

Continua depois da publicidade
Não foi possível carregar anúncio

Uma viagem no tempo é necessária aqui. Desenvolver série sobre Missão: Impossível nada mais é do que voltar às origens, pois a história começou na televisão, décadas atrás. A Missão: Impossível original estreou, nos Estados Unidos (rede CBS), em 1966 e terminou em 1973, após sete temporadas e 171 episódios.

A trama acompanhou um grupo de agentes secretos do governo americano em embates contra políticos rivais, ditadores do chamado Terceiro Mundo e organizações criminais.

Em 1988, a ABC reviveu a atração, exibida na Globo com grande destaque nos anos 1990. A história nada mais era do que uma continuação da narrativa matriz, composta de novos personagens e elenco; durou apenas duas temporadas.

Expandir a franquia

Pelo ponto de vista dos executivos da Paramount, fazer série ambientada no mundo de Missão: Impossível é mais do que natural. Na verdade, será uma decisão de negócios errada se não produzirem nada para a TV (leia-se: streaming Paramount+). O conglomerado administra algo parecido com a cultuada Star Trek (Jornada nas Estrelas), um mix de filmes e séries.

Cruise é muito protetor da franquia e, talvez, deseja manter a mística de que ela deve ser apenas identificada como cinema (ao menos a versão mais atual). 

Ele até mesmo se opõe ao lançamento quase imediato dos próximos dois filmes da franquia no Paramount+, querendo que o longa fique mais tempo exclusivo em cartaz além dos 45 dias planejados.

A previsão é que Missão: Impossível 7 seja lançado no ano que vem; o 8 deve chegar em 2024. E depois disso? Talvez a Paramount consiga se livrar das amarras do astro hollywoodiano e decidir o que bem quiser com a produção. Uma série, de qualquer tipo, seria ideal.

Além disso, pensando na questão financeira, a série custaria muito menos do que os filmes. Para ter toda aquela ação arrasa-quarteirão do cinema, cheia de tiros e explosões, tem de gastar bastante, com uma única película saindo perto dos US$ 300 milhões (R$ 1,59 bilhão). Uma produção televisiva do nível de Game of Thrones (2011-2019) é produzida com um terço desse valor.

Veja a abertura da série Missão: Impossível lançada em 1988:

____

Conheça a página de séries do Observatório da TV

Publicidade
Não foi possível carregar anúncio

Deixe o seu comentário

Em Alta

Carregando...

Erro ao carregar conteúdo.

Publicidade
Não foi possível carregar anúncio
Publicidade
Posting....