Mais do que você gosta.
Assine o Star+
Publicidade
Não foi possível carregar anúncio
Publicidade
Não foi possível carregar anúncio
MARATONA

Tire o atraso! Dez séries de 2022 para assistir no feriadão

Aproveite os próximos dias de descanso e assista às comédias e dramas que você ainda não viu neste ano

Publicado em 20/04/2022
Publicidade
Não foi possível carregar anúncio

Feriados prolongados como este de Tiradentes, a partir de quinta-feira (21), serão raros em 2022. Então, agora é o momento ideal para você tirar o atraso e se atualizar com as séries lançadas neste ano. São apenas quatro meses na conta, mas muita atração legal entrou na pista. Os próximos dias de descanso podem ser bem proveitosos para ver aquele drama ou comédia que todo mundo comentou, mas você ainda não conseguiu assistir.

O pacote de 2022 está bem pesado. Este começo de ano entregou atrações dignas de Emmy, como Ruptura (AppleTV+) e A Idade Dourada (HBO). Teve também a chegada de How I Met Your Father (Star+), que polemizou e causou debates acalorados, carregando o peso de ser spin-off de How I Met Your Mother (2005-2014).

Continua depois da publicidade
Não foi possível carregar anúncio

Confira dez séries de 2022 que merecem ser vistas, veja quais você ainda não assistiu e corra para a maratona. Boa diversão:

Élodie Yung em cena da primeira temporada de A Faxineira

A Faxineira (HBO Max)

Nos Estados Unidos, A Faxineira (The Cleaning Lady) é um dos cinco dramas novatos mais assistidos da temporada 2021-2022, na TV aberta. A trama é adaptação americana da série argentina La Chica que Limpia (2017). O protagonismo fica por conta de Élodie Yung (a Elektra da série Demolidor), na pele da doutora Thony De La Rosa.

A Faxineira tem um quê de Maid, minissérie de sucesso da Netflix, mas com uma turbinada criminal. A faxineira em questão tem de trabalhar para a máfia ao se ver em uma enrascada. E essa pode ser a saída para o filho dela conseguir o tratamento raro que tanto precisa.

Carrie Coon na primeira temporada de A Idade Dourada

A Idade Dourada (disponível na HBO Max)

Assinada por Julian Fellowes, criador da franquia Downton Abbey, A Idade Dourada foi um hit para a HBO. A primeira temporada credencia a atração como forte candidata a concorrer ao Emmy de melhor drama. 

Ambientada na Nova York dos anos 1880, a série narra a rotina de gente podre de rica (muitos fofoqueiros e povo metido à besta) e desenrola conflitos entre quem tem uma visão mais progressiva da vida em sociedade e quem é adepto do conservadorismo.

Tiffany Haddish vive uma detetive em Depois da Festa

Depois da Festa (Apple TV+)

Na frente para ser uma das melhores comédias de 2022, Depois da Festa é imperdível porque alia um humor refinado com a infalível fórmula do “quem matou?”. Uma turma do terceirão (ensino médio) se reúne 15 anos depois da formatura. A festa é marcada por uma morte e todos os que estão presentes são suspeitos. 

Cada episódio narra o ponto de vista de um personagem específico. O telespectador junta as pistas acompanhado a detetive Danner (Tiffany Haddish) e tenta solucionar o caso.

Hilary Duff (à esq.) com Francia Raisa em How I Met Your Father

How I Met Your Father (Star+)

A comédia How I Met Your Father não caiu no gosto dos críticos, que massacraram a série, chegando a dizer que era “nada engraçada”. Porém, percebe-se que a atração não é tão ruim assim como os especialistas desenharam. 

Há momentos cringe? Sim. Mas o saldo é positivo. How I Met Your Father cai como uma luva para ser um passatempo descompromissado, para relaxar ainda mais no feriadão.

John C. Reilly (à esq.) com Quincy Isaiah em Lakers: Hora de Vencer

Lakers: Hora de Vencer (HBO Max)

Mesmo quem não curte muito esporte, especificamente basquete, deve dar uma chance a Lakers: Hora de Vencer. Caso não haja surpresas, o drama ambientado nos anos 1980 deve tomar conta das categorias de atuação no Emmy. É um ator melhor do que o outro, com performances do mais alto nível. 

Os nomes que se destacam são: John C. Reilly (na pele de Jerry Buss), Quincy Isaiah (o Magic Johnson), Jason Clarke (o Jerry West), Adrien Brody (o Pat Riley), Gaby Hoffmann (a Claire Rothman), Jason Segel (o Paul Westhead) e Hadley Robinson (a Jeanie Buss).

Will Arnett (à esq.) com Kumail Nanjiani na comédia Murderville

Murderville (Netflix)

Aqui é hora de palhaçada e de dar risada de tosquices. Esses ingredientes se unem em uma comédia diferentona e inteligente. Em Murderville, Will Arnett vive um detetive derrotado, mas sabichão, chamado de Terry Seattle. Ele não tem um parceiro e em cada episódio alguém aparece para ajudá-lo a resolver assassinatos.

O detalhe: esses detetives parceiros são celebridades que interpretam eles mesmos. E nenhum deles recebe o roteiro do episódio, todas as falas são no improviso. No final do caso, a celebridade precisa adivinhar quem foi que cometeu o crime, como se fosse um jogo (geralmente são três suspeitos). 

O ator Lee Min-ho na abertura de Pachinko

Pachinko (Apple TV+)

Deslumbrante k-drama da Apple, Pachinko é uma obra de arte. A série acompanha uma família coreana, mais precisamente uma personagem, durante quase cem anos, desde a ocupação japonesa no território da Coreia, na década de 1910, até o final do século 20. 

Seja no mundo arcaico do passado longínquo ou no retrato da sempre rica década de 1980, Pachinko brilha ao retratar esses ambientes tão distintos. A direção e roteiro são impecáveis, assim como uma atuação de elenco primorosa, destacando Youn Yuh-jung, lendária atriz vencedora do Oscar.

O ator John Cena na série Pacificador

Pacificador (HBO Max)

“Do ya really wanna / Do ya really wanna taste it?”. Pacificador já começa conquistando o coração do telespectador na abertura, com esse trecho de música da banda Wig Wam. A série da DC apresenta um anti-herói vivido por John Cena, boca suja e sádico, que justifica as ações violentas por serem necessárias em busca da paz.

A produção tem a criação, roteiro e direção de James Gunn. Danielle Brooks (Orange is the New Black) e Freddie Stroma (UnReal) reforçam o elenco.

Alan Ritchson nos bastidores da série Reacher

Reacher (Prime Video)

Reacher foi um fenômeno no Prime Video. Apenas três dias após a estreia, o streaming da Amazon anunciou a renovação para a segunda temporada, tamanho foi o sucesso do drama de ação, chegando a conquistar um feito e tanto: deixou o Prime Video pela primeira vez à frente da Netflix em ranking do ibope americano.

A temporada de estreia de Reacher adapta o primeiro livro da coleção de Lee Child, chamado no Brasil de Dinheiro Sujo (2006). O gigante Reacher (Alan Ritchson) é andarilho nos Estados Unidos, pingando de cidade em cidade com pouca bagagem, andando a pé ou de transporte público. Em uma das paradas, ele tem o sossego interrompido ao ser considerado suspeito de assassinato.

O ator Adam Scott na série Ruptura

Ruptura (Apple TV+)

Imperdível, o drama Ruptura faz a seguinte provocação: e se você pudesse dividir a mente e não levar os problemas do trabalho para casa, e vice-versa? Você toparia passar por esse experimento? É nessa brisa que vivem os personagens da série favorita para, ao menos, ser indicada ao Emmy de melhor drama.

Um dispositivo é implantado dentro do cérebro com a capacidade de fazer essa divisão na mente entre o que ocorre no trabalho e fora dele, processo irreversível chamado de ruptura. A trama narra a vida de quem faz parte desse processo. ⬩

Publicidade
Não foi possível carregar anúncio

Deixe o seu comentário

Em Alta

Carregando...

Erro ao carregar conteúdo.

Publicidade
Não foi possível carregar anúncio
Publicidade
Posting....