Mais do que você gosta.
Assine o Star+
Publicidade
Não foi possível carregar anúncio
Publicidade
Não foi possível carregar anúncio
DESPEDIDA

The Sinner entrega mistério da melhor qualidade na 4ª e última temporada

Drama policial faz mais uma leva de episódios imperdível e cruza a linha de chegada em alta

Publicado em 26/01/2022
Publicidade
Não foi possível carregar anúncio

O drama policial The Sinner entrega um mistério da melhor qualidade, embrulhado em um clima enigmático e pitoresco, na quarta e última temporada, disponível na Netflix a partir desta quarta-feira (26). Pronto para descansar em uma região remota, o detetive mais fascinante da TV, Harry Ambrose (Bill Pullman), é atraído a uma investigação sobre o desaparecimento de uma jovem.

Elementos das levas anteriores estão presentes nos episódios finais, principalmente a questão do motivo. The Sinner, como se sabe, não necessariamente caça quem cometeu crimes. O foco é descobrir as causas, encontrar os porquês.

Continua depois da publicidade
Não foi possível carregar anúncio

Descanso, só que não

Nesta última temporada, o simpático Harry Ambrose quer descansar e comemorar um ano de aposentadoria. O destino é uma cidade pequena no leste dos Estados Unidos, na Região da Nova Inglaterra, uma vila movida pela indústria da pesca. Acompanhado da namorada Sonya (Jessica Hecht), seria um lugar ideal para descarregar a mente e poupar o corpo.

Os eventos trágicos da terceira temporada (o detetive foi enterrado vivo, lembra?) afetaram a rotina de Ambrose. Dormir é luxo, nem remédios dão conta. Daí, em uma bela noite, ele resolve caminhar pelas ruas silenciosas do vilarejo. Como problemas o perseguem, o bom policial irá se deparar com um.

Ele avista uma moça. A jovem se chama Percy Muldoon, impecavelmente bem defendida por Alice Kremelberg. Há uma discussão com um homem e, depois, ela parte a uma floresta. O detetive está na cola. Em uma fração de segundos, a moça aparece perto de um penhasco e some. Percy pulou morro abaixo? Alguém a raptou? 

Alice Kremelberg rouba a cena na 4ª temporada de The Sinner (Divulgação/USA Network)

Até o fim

Ambrose, um estranho naquela comunidade, foi a última pessoa a vê-la. Familiares e polícia local ficam sem saber ao certo o que ocorreu, se ela desapareceu mesmo ou apenas fez um ato de rebeldia e logo voltará para casa. O detetive está disposto a ajudar os colegas da cidade na investigação, usando toda a expertise que os agentes da lei dali não têm em casos do tipo.

The Sinner passa a régua colocando Ambrose em uma situação capciosa. Nada ali tem a ver com ele, não tem obrigação de nada. Mesmo assim, a dedicação à investigação é intensa, chegando a balançar a relação com Sonya.

Quem acompanha a série desde a primeira temporada está ciente que o detetive é assim mesmo, não desistirá do caso até a solução definitiva. Isso o colocará em enrascadas das grandes, como se intrometer em uma guerra familiar raivosa e flertar com uma seita sinistra.

O pano de fundo desta temporada é parte integral da narrativa. O visual da ilha Hanover, no Estado de Maine (nordeste dos EUA), é estimulante e fora do comum. Porém, ideal para um caso cabeludo conforme o apresentado na leva derradeira. Paulatinamente, o espectador vai interpretar a cidade como uma personagem a mais na trama.

Falando nisso, The Sinner foi muito bem (de novo) na escolha de ator para contracenar ao lado de Bill Pullman. Nas temporadas anteriores, nomes tarimbados fizeram tabelinha com o protagonista: Jessica Biel, Carrie Coon e Matt Bomer. 

Agora, quem entra no palco é Alice Kremelberg, a Nicole de Orange Is the New Black (2013-2019). Ela é um dos pontos fortes dessa despedida do drama policial, que está tão boa quanto às outras temporadas.


Siga o Observatório de Séries nas redes sociais:

Facebook: ObservatorioSeries

Twitter: @obsdeseries

Publicidade
Não foi possível carregar anúncio

Deixe o seu comentário

Em Alta

Carregando...

Erro ao carregar conteúdo.

Publicidade
Não foi possível carregar anúncio
Publicidade
Posting....