Mais do que você gosta.
Assine o Star+
Publicidade
Não foi possível carregar anúncio
Publicidade
Não foi possível carregar anúncio
LUTO

Bandido gay em The Wire, Michael K. Williams fez uma revolução na TV

Ator morreu nesta segunda-feira (6), aos 54 anos, e deixou um legado de suma relevância para o mundo das séries

Publicado em 06/09/2021
Publicidade
Não foi possível carregar anúncio

O mundo das séries perdeu um dos grandes atores da atualidade. Michael K. Williams, aos 54 anos, foi encontrado morto no apartamento onde morava, em Nova York, nesta segunda-feira (6). Do legado que deixa, nada se compara ao que ele fez no drama The Wire (2002-2008), na pele de um bandido gay.

No drama policial e de investigação criminal da HBO, Williams interpretou o traficante Omar Little, assumidamente homossexual, que vivia à margem da lei ao lado de namorados. Dentro da trama, ele era mal visto por causa da identidade sexual. Fora das câmeras, o personagem inicialmente não foi bem aceito.

Continua depois da publicidade
Não foi possível carregar anúncio

Lembro que diziam: ‘adeus audiência’“, relembrou o ator em entrevista para o jornal The New York Times, publicada em 2017. Na época, Omar foi visto com muita resistência. Ele só entrou em cena porque o criador e roteirista de The Wire, David Simon, bateu o pé e insistiu no papel dado à Williams. 

Com o tempo, Omar foi ganhando apreço do público e da mídia. O traficante que roubava de outros traficantes, e de tabela ajudava a polícia, foi um dos personagens mais longevos de The Wire, aparecendo em 41 (de 60) episódios.

Michael Kevin Darnall (à esq.) com Michael K. Williams; namorados em The Wire (Divulgação/HBO)

Fascínio

Omar entrou para a história como um dos personagens mais mágicos de todas as séries já feitas. Ele era o bandido que tinha um código de ética e jamais feria qualquer pessoa inocente, aquela sem envolvimento com a vida bandida.

Ele tinha a decência curiosa de evitar falar palavrões, cuidava da avó com esmero e era muito carinhoso nas relações afetivas com as pessoas próximas. Esses traços quebraram a áurea do bandido machão e ignorante, que The Wire teve aos montes. 

A homossexualidade de Omar era escancarada na trama, expondo a confiança dele e a insegurança dos rivais, que não perdiam a oportunidade de fazer uma zoação.

Williams encarnou o traficante com perfeição, até tendo liberdade para fazer coisas que nem estavam no roteiro, como um beijo na boca que ele deu no parceiro Brandon (Michael Kevin Darnall) em um episódio da primeira temporada.

Omar ia para a igreja, era abertamente gay e franco com todos ao redor. Como qualquer outra pessoa, tinha dentro de si várias complexidades e travava inúmeras batalhas com o eu interior.

Omar foi um negro sincero, da periferia, que não se importava com o que os outros dissessem dele“, falou para o New York Times, há quatro anos. “Ele foi o que eu sempre quis ser“.

The Wire está disponível completa na HBO Max, a plataforma da Warner.


Siga o Observatório de Séries nas redes sociais:

Facebook: ObservatorioSeries

Twitter: @obsdeseries

Publicidade
Não foi possível carregar anúncio

Deixe o seu comentário

Em Alta

Carregando...

Erro ao carregar conteúdo.

Publicidade
Não foi possível carregar anúncio
Publicidade
Posting....