Mais do que você gosta.
Assine o Star+
Publicidade
Não foi possível carregar anúncio
Publicidade
Não foi possível carregar anúncio
CONTENÇÃO DE GASTOS

Endividada, nova Warner decide acabar com Expresso do Amanhã

Série popular no Brasil, disponível na Netflix, chegará ao fim após a quarta temporada

Publicado em 18/06/2022
Publicidade
Não foi possível carregar anúncio

A política severa de contenção de gastos na nova Warner fez mais uma vítima. A popular série Expresso do Amanhã vai acabar após a quarta temporada, atualmente em produção. O peso do drama, disponível no Brasil na Netflix, impediu o cancelamento abrupto. A atração pertence ao canal americano TNT, parte do recém-criado conglomerado Warner Bros. Discovery, que corta investimentos para amortecer uma dívida astronômica.

O fim de Expresso do Amanhã começou a ser ventilado em abril. Três semanas após o grupo Discovery se unir à Warner Bros., a nova empresa decretou o fim de investimentos em séries dos canais TBS e TNT, acabando com projetos futuros e atrações que estavam no ar. Naquele momento, nenhuma posição oficial tinha sido tomada sobre Expresso do Amanhã.

Continua depois da publicidade
Não foi possível carregar anúncio

Segundo o site Deadline, caso quisesse continuar além da quarta temporada, a Warner teria de aceitar a renovação de contrato com todo o elenco, vínculo que se encerra agora. E nesse tipo de negociação, com a trama tão avançada, atores e atrizes tendem a receber aumentos salariais. Como o drama futurista já é caro por si só, a conta só aumentaria. Terminar a série foi uma decisão inevitável.

Trama sobre um trem com mais de mil vagões que trafega sem parar ao redor da Terra congelada, Expresso do Amanhã tem um investimento final alto. As dezenas de vagões apresentadas na série, de boate a horta, passando por cabine de direção e restaurante chique, são reais, todos erguidos em estúdios. 

Os efeitos especiais, que barateiam uma atração, são apenas usados nas cenas externas, quando o mundo congelado entra em cena.

O ator Daveed Diggs na 3ª temporada de Expresso do Amanhã

Dívida de R$ 282 bilhões

Quem está cortando tudo na nova Warner é o executivo David Zaslav, o CEO do conglomerado. Ele herdou uma dívida de US$ 55 bilhões (R$ 282 bilhões)

Assim sendo, as análises sobre continuar ou não com qualquer aplicação futura será feita sem pensar muito. Se a projeção não é segura, a única opção é pular fora. Em carta escrita aos funcionários da empresa, Zaslav prometeu cortar US$ 3 bilhões (R$ 15,4 bilhões) em investimentos nos próximos três anos.

O executivo está fazendo uma limpa geral na Warner Bros. Discovery, incluindo demissões de profissionais engravatados e de blazer da alta cúpula.

Isso respinga também na HBO Max, o streaming do grupo. A maioria das séries no limbo correm risco de serem canceladas. Nesta semana, a comédia Hacks escapou do corte, sendo renovada para a terceira temporada. 

Quem agora está na mira do julgamento final é The Flight Attendant (protagonizada por Kaley Cuoco), aguardando qual será o destino após o término da segunda leva de episódios.

Enquanto isso, Raised by Wolves e Made for Love foram canceladas, cada uma não passando da respectiva segunda temporada.

Lançada em maio de 2020, e completando agora um ano no Brasil, a HBO Max emplacou duas séries inegavelmente fortes: And Just Like That… (continuação de Sex and the City) e Pacificador. A comédia Minx, renovada, apresenta boa perspectiva de continuidade. ⬩

Publicidade
Não foi possível carregar anúncio

Deixe o seu comentário

Em Alta

Carregando...

Erro ao carregar conteúdo.

Publicidade
Não foi possível carregar anúncio
Publicidade
Posting....