Relembre a história de Mulheres Apaixonadas, que está de volta no Globoplay

A trama está de volta no Globoplay nesta segunda-feira (10)

Publicadohá pouco tempo
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Estreando no Globoplay nesta segunda-feira (10), Mulheres Apaixonadas é uma novela de grande sucesso da TV Globo, exibida originalmente em 2003. A trama principal é focada na personagem Helena (Christiane Torloni), uma mulher casada há 15 anos, mas que decide viver uma nova história de amor.

A princípio, ela é diretora da Escola Ribeiro Alves, mas está cansada de viver uma vida bastante parada ao lado de Téo (Tony Ramos), com quem adotou o pequeno Lucas (Victor Cugula). Porém, essa história envolve um grande segredo, já que o menino é filho biológico do marido com uma ex-garota de programa.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

O segredo de Téo e Fernanda (Vanessa Gerbelli) contribui para abalar silenciosamente a relação do casal, que já não está bem há tempos. Mas quando reencontra César (José Mayer), um ex-namorado que ela abandonou no passado, Helena fica ainda mais confusa.

As coisas pioram quando a moça descobre que César está viúvo e agora é um neurocirurgião conceituado. O que ela não esperava é que o rapaz do passado trabalha na mesma clínica onde a filha de Téo, Luciana (Camila Pitanga), faz residência. Os dois têm um caso.

César é pai da jovem Marcinha (Pitty Webo), aluna da escola onde Helena é diretora, e de Rodrigo (Leonardo Miggiorin), que o responsabiliza constantemente pela morte da mãe. Marcinha é apaixonada pelo jovem Fred (Pedro Furtado), mas este só a vê com olhos de amigo. Quem desperta seu amor é a nova professora de educação física, Raquel (Helena Ranaldi).

Os dois enfrentam muitas dificuldades, tanto da parte da mãe de Fred, Leonora (Joana Medeiros), quanto de Marcos (Dan Stulbach), o violento marido de quem Raquel foge, cansada das recorrentes agressões físicas praticadas por ele, especialmente usando uma raquete de tênis.

Helena tem duas irmãs, Hilda (Maria Padilha) e Heloísa (Giulia Gam). A primeira tem um casamento feliz com Leandro (Eduardo Lago) e poucos problemas com a filha Elisa (Giselle Policarpo), mais focados em esconder do marido que o namorado da garota às vezes dorme com ela. No decorrer da história, Hilda descobre um câncer de mama.

Já Heloísa tem um ciúme doentio do marido Sérgio (Marcello Antony), que faz muito sucesso com as mulheres. No próprio edifício em que vivem, as jovens Dóris (Regiane Alves) e Vidinha (Júlia Almeida), esta sobrinha de Helena, não escondem o frisson ao ver o arquiteto. A obsessão de Heloísa pelo marido a leva a desatinos sérios.

Dóris mora com a família e odeia o fato de ter que dividir o quarto com o irmão Carlinhos (Daniel Zettel) porque o quarto que seria seu é ocupado pelos avós paternos, Flora (Carmen Silva) e Leopoldo (Oswaldo Louzada). Ela afronta o pai, Carlão (Marcos Caruso), é protegida pela mãe, Irene (Martha Mellinger), e maltrata o casal de velhos com ofensas e humilhações.

Prima de Helena, Hilda e Heloísa, Estela (Lavínia Vlasak) é uma jovem linda, desejada, desimpedida e rica. E infeliz, já que o único homem que ela realmente deseja não pode ter nada com ela: o Padre Pedro (Nicola Siri).

Na escola, entre os vexames que a professora Santana (Vera Holtz) provoca devido ao vício em álcool e as cenas de amor de Fred e Raquel, a desagradável Paulinha (Roberta Gualda) destila preconceito e arrogância, além de sentir uma execrável vergonha do pai, Oswaldo (Tião D’Ávila), o caseiro da escola, porque ele é pobre.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio