O dramático final de Rosa em A Escrava Isaura: “Eu sou uma desgraçada”

Alforriada, a vilã termina rica, mas sem amigos, sem parentes e sem o seu grande amor

Publicado há 4 meses
Por Cadu Safner
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

A Escrava Isaura caminha para os seus últimos momentos nas tardes da Record TV, mas ainda reserva muitas surpresas ao público que não tinha assistido a esta versão. Após ser humilhada por Sebastião (Paulo Figueiredo), seu próprio pai, Rosa (Patrícia França) é reconhecida como sua filha. E ele toma a decisão de dar-lhe a alforria e também a todos os seus escravos, que a partir de então receberão por seus trabalhos.

Sebastião a informa também que viajará para a Europa, em lua de mel com Gioconda (Miriam Mehler). O homem diz que lhe deixará a fazenda e que ela também será incluída em seu testamento, para que no dia em que ele morrer, ela não fique ao Deus dará.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Rosa chora compulsivamente e diz que será sempre agradecida a ele. Mais tarde, após a despedida, ela comemora a vida de sinhá na fazenda de sua família. André (Déo Garcez) aparece e a encontra desfrutando do local como a viu. O escravo, então, a comunica que não mais ficará com ela.

Eu queria casar com você. Eu sou chefe dos quilombolas, sou filho de Ubamauê, vou sempre ser perseguido a vida toda pela policia“. Rosa se irrita com a insistência do rapaz. “Esquece esse raio de ser quilombola, você pode viver aqui nessa casa linda. Nessa fazenda maravilhosa comigo“, diz ela.

É então que André avisa: “Eu nunca que vou deixar de lutar pela liberdade dos escravos, Rosa. Eu nunca vou deixar o quilombo“. A ex-escravinha diz que para se casar com ela, André terá sim que deixar a vida de quilombola.

Enérgico nas palavras, André é irredutível. “De coração. Eu gosto muito de você, de verdade, mas não vai dar certo entre nós. Você quer viver vida de sinhazinha. Eu quero ver o quilombo crescer, ajudar os escravos a ganhar liberdade.

Você quer viver na casa grande, e eu sou um quilombola de coração. Você não entende isso. É lá no quilombo que eu quero ser feliz. Eu sinto muito desejo por você, mas a verdade é que nós dois não combinamos. Eu não vou te fazer feliz nem você vai me fazer feliz“, rechaça ele.

Rosa começa a se desesperar com a insistência de André em continuar na vida de quilombola e com a possibilidade de viver sozinha na fazenda, uma vez que todos form embora de lá. “Que graça vai ter viver nessa casa tão grande, nessa fazenda se eu não tenho o meu amor, se eu não tenho o homem da minha vida?“, se declara.

André, por sua vez, dá a palavra final, agarra Rosa pelos braços e a joga no chão após ela tentar impedir que ele vá embora. “Eu vim pra me despedir, Rosa. Eu não vou me casar com você. Eu não nasci para ser sinhozinho de fazenda. Eu nasci pra ser guerreiro. Pra lutar pela liberdade dos escravos. E depois não é só isso. Você foi muito má, você errou demais, Rosa. Você fez muita maldade pra Isaura. Agora é tarde. você não presta, você é uma desgraçada, uma miserável, você não presta”, diz ele, antes de deixar o local”.

Rosa sai correndo atrás de André, mas é tarde, ele some pelo pasto com seu cavalo. Rosa chora e passa a viver solitária no casarão, sem qualquer amigo ou parente por perto.

Mais Informações, curiosidades, sinopse, personagens e o resumo diário e atualizado dos capítulos de A Escrava Isaura.

Confira o resumo dos capítulos das outras novelas da TV.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio