Z4 tem estreia chata no SBT e evidencia problemas das atuais séries da Disney

Publicado há 2 anos
Por Gabriel Vaquer
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Nesta noite de quarta-feira (25), o SBT estreou a sua nova série. Uma co-produção com a Disney e com a Sony Music, o canal de Silvio Santos exibiu Z4, seriado que vai lançar uma nova boyband no mercado fonográfico.

Confirme divulgado pela emissora e pela Disney, o programa vai contar, ficcionalmente, como o tal grupo musical vai se formar. No entanto, a julgar pelo primeiro episódio, o seriado não deve ser tão eficaz na formação dessa boyband.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Veja mais: Série Z4 promete fidelizar o público teen da emissora de Silvio Santos

Basicamente, o programa conta a história de Zé Toledo (Werner Schunemann), um produtor decadente que junta quatro garotos para emplacar a “maior boyband de todos os tempos”. Bom, a depender do primeiro episódio, superar Backstreet Boys será difícil.

Texto estranho e roteiro confuso marcam Z4

Rapidamente, Z4 mostrou como Zé é decadente. Mas tudo ficou muito artificial, falso. Parecia que os roteiristas estava com pressa de apresentar tudo e colocar a banda logo no ar para vender quinquilharias e licenciar a marca.

Todavia, existem alguns bons pontos. Werner Schunemann se esforça e tenta dar uma dignidade para seu Zé Toledo, que tem falas beirando as cenas de Barney e Seus Amigos. Tudo bem que fala-se para um público infantil, mas não precisa ser tão infantil assim.

Outro ponto negativo é que a série não se aprofundou nas apresentações de seus personagens. Os protagonistas Enzo (Apollo Costa), Paulo (Gabriel Santana), Luca (Pedro Rezende) e Rafael (Matheus Lustosa) simplesmente foram jogados sem qualquer cerimonia.

Entretanto, é bom lembrar que estamos falando de um seriado que precisa criar vínculos. Para isto acontecer, é necessário profundidade de personagens e calma para apresentar seus protagonistas. Z4 simplesmente mostrou os garotos e disse, indiretamente: “garotas, se apaixonem!”.

Contudo, nao é assim que a banda toca. Como um todo, foi um episódio esquecível. Mesmo tendo pouco tempo, demorou a passar. Outro lamento foi o atraso para começar. Previsto para 21h45, começou apenas às 22h05. E isso porque as crianças dormiam cedo…

Veja também

Série Z4: “Não podemos deixar de ser um pouco adolescente”, diz Werner Schunemann

Na série Z4, do SBT, Negra Li interpreta uma mulher batalhadora: “Tenho essa energia”

Z4 deixa claro má fase da Disney com seriados

No mais, Z4 deixou evidenciado os maiores problemas da Disney com suas séries atualmente. Nesta década, a Disney tem tido problemas para emplacar novas produções. A última que rendeu algo foi a continuação de As Visões da Raven, a tal A Casa da Raven. Mas a última inédita, de fato, foi Boa Sorte, Charlie!.

Para quem não sabe, nos Estados Unidos, o Disney Channel sofre com a audiência abaixo do normal. Aqui no Brasil, a emissora tem perdido para Discovery Kids, Cartoon Network, Gloob e até Nickelodeon, sendo apenas a quinta emissora infantil mais vista na TV paga.

A julgar por Z4, a dificuldade vai continuar. A série se mostrou sem ritmo e sem graça. Pode melhorar? Sim, mas é difícil. A ver como ela se sairá.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio