Você sabia? SBT alterou nomes dos personagens de A Que Não Podia Amar

Publicado há um ano
Por Felipe Brandão
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Quando resolveu trazer A Que Não Podia Amar para a TV brasileira, o SBT se preocupou em adequar a obra da Televisa ao público que ela encontraria aqui. Isso envolve não somente a tradução e a dublagem para língua portuguesa, mas também a alteração dos nomes de vários personagens.

Embora os protagonistas Ana Paula (Ana Brenda Contreras), Gustavo (José Ron) e Rogério (Jorge Salinas) tenham tido suas ‘graças’ praticamente intactas entre o México e o Brasil, algumas presenças secundárias da história latina foram rebatizadas para não causar ‘estranhamento’ na audiência.

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

É o caso, por exemplo, do vilão que aqui que conhecemos como Elias (Fabián Robles). Na versão original da história, o peão da fazenda de Rogério se chamava Efraim. A amante de Elias/Efraim, aliás, tampouco era chamada de Márcia (Paty Díaz) nos roteiros do folhetim. Ali, ela era Macária.

A filha de Márcia/Macária e Ulisses (Germán Gutiérrez) também foi afetada pela política de dublagem do SBT e da Rio Sound, estúdio responsável por ‘abrasileirar’ a obra. O nome ‘de batismo’ da personagem, assassinada há algumas semanas, era María de la Paz (Tania Lizardo), mais comumente interpelada pelo apelido de Maripaz. A tradução carioca, no entanto, transformou-a em Mariana.

Por fim, temos o caso marcante do garoto Marquinho (Juan Bernardo Flores). Quem prefere acompanhar A Que Não Podia Amar na ‘tecla SAP’ certamente conhecerá o filho de Rogério pela graça original de Margarito. Como chamá-lo dessa forma não faria sentido algum para a audiência brasileira – ainda mais por se tratar de uma criança com menos de dez anos -, optou-se por essa adaptação.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio