SAIBA OS DETALHES

Veruska Donato processa a TV Globo por assédio e pede indenização de R$ 13 milhões

Ex-repórter da emissora afirma ter sido obrigada a se adequar aos padrões de beleza exigidos pela empresa

Publicado em 02/02/2023

A jornalista Veruka Donato, de 45 anos, entrou como uma ação contra a TV Globo, acusando a emissora de assédio moral por ter tido que se enquadrar no padrão de beleza estabelecido pela empresa. De acordo com o Notícias da TV, a repórter solicita uma indenização de R$ 13 milhões durante o seu período de trabalho.

Veruska Donato deixou o canal dos Marinhos no final de 2021, após 20 anos como contratada do Grupo Globo. Na época de sua saída, a repórter havia afirmado que a decisão foi tomada por causa de problemas de saúde surgidos enquanto fazia a cobertura da pandemia de Covid-19, além da carga emocional de suas reportagens para os jornalísticos da emissora.

Ainda de acordo com os autos dos processos divulgados pelo site, Veruska Donato relata que passou 17 anos na empresa (2002-2019) como Pessoa Jurídica e só teve a sua carteira de trabalho assinada pela TV Globo em seus dois últimos anos de contrato. A jornalista solicita que o período seja reconhecido como vínculo empregatício.

No processo, a repórter também afirma ter desenvolvido a Síndrome de Burnout, também conhecida como Síndrome do Esgotamento Profissional. Veruska Donato conta que havia uma pressão da emissora para que as profissionais do sexo feminino não engordassem, usassem roupas adequadas para os seus programas e que cuidassem bem das unhas, além de cobrarem por mais produtividade.

Veruska Donato
Veruska Donato (Foto: Reprodução/Globo)

A defesa de Veruska Donato também se manifestou sobre o caso e as cobranças da chefia da TV Globo sobre a estética das funcionárias. “No caso da reclamante, que se aproximava dos 50 anos de idade (após 20 anos de trabalho), a situação se agravou nos últimos anos da contratualidade, por conta do etarismo praticado pelos prepostos da ré, havendo críticas de chefe e do setor de figurino do jornalismo quanto a qualquer flacidez, ruga ou gordura considerada fora do lugar”, relatou.

Em 2022, a jornalista concedeu uma entrevista à Luciana Liviero, e relatou como se sentia em ter que lidar com as pressões estéticas exigidas pela televisão. “Para muita gente, para o Brasil, o velho não é bonito. E uma mulher de 50 anos na televisão não é legal. A TV é cruel. E as TVs investem em algo errado: eles querem gente jovem para rejuvenescer a audiência. Isso não é certo”, contou Veruska Donato.