Vera Holtz relembra trabalho como Mãe Lucinda: “Mulher resistente”

Publicado há um ano
Por Guilherme Rodrigues
Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Na última segunda-feira (7), a TV Globo estreou a reprise de Avenida Brasil (2012) no Vale a Pena Ver de Novo. Entre as personagens que o público poderá rever, está a Mãe Lucinda (Vera Holtz), que vive no lixão onde Rita (Mel Maia) é deixada. Em entrevista, a veterana relembrou o papel.

Qual foi o momento mais marcante da personagem Mãe Lucinda?

Continua depois da publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio

Uma cena muito linda é quando Nina procura Mãe Lucinda depois de anos e ela descobre que a jovem é a Rita. Foi uma cena de muita emoção entre a Débora Falabella e eu.  Outro momento que me marcou muito é o casamento da Rita e do Batata. Foi um trabalho extraordinário de cenografia, produção de arte e figurino, que trouxe aquele universo lúdico com tanta beleza e poesia.

Qual a cena mais difícil?

O dia em que a Mãe Lucinda salvou seu filho, Max, que de certa forma a renegava. Foi uma gravação de madrugada, no mar, bem difícil.

O que você destacaria como ponto forte da Lucinda?

Ela era uma mulher resistente, solidária, extremamente dedicada a educar aquelas crianças. Essa é a força da representação materna, que envolve proteção, carinho, respeito. Ela era tudo isso para aquelas crianças, seus filhos de coração.

Que momento das gravações você lembra com mais carinho?

Aquele universo do lixão era uma obra de arte. Cuidado e requinte nos mínimos detalhes. Lembro que as roupas do figurino eram pintadas com tinta orgânica, a casa da mãe Lucinda era forrada com lataria. Um trabalho realmente artístico das equipes de produção de arte, figurino e cenografia.

O que fez da novela um fenômeno?

Logo no início eu já intuía que estávamos fazendo uma novela fora da curva, o que se consagrou no último capítulo, quando todos estavam reunidos assistindo como se fosse uma final de Copa do Mundo. Foi um jogo entre a teledramaturgia e o público, que torcia pelos seus personagens preferidos, formava grupos. Foi tudo muito especial.

Publicidade

Carregando...

Não foi possível carregar anúncio